26 de junho de 2018

Resenha: Minha Rendição – Cinthia Freire.

em 26 de junho de 2018

5 comentários

Título: Minha Rendição.
Série: Segredos #2.
Autora: Cinthia Freire.
Editora: Independente.
Idioma: Português.
Páginas: 518. Ano: 2017.
Gênero: Drama, ficção, romance, literatura brasileira.
ISBN-13: 0130000005559.
ISBN-10: 000000555X.
Encontre no Skoob.
Compre: aqui.

Sinopse: Segredos são como fantasmas, nos assombrando e nos fazendo crer que são reais. Todos têm os seus fantasmas.

Poliana tem os seus e há seis meses ela tenta se convencer que ainda é capaz de viver, mesmo que seu coração diga a ela que não há mais esperanças.

Vinicius é um renomado cardiologista que vê no trabalho voluntario uma forma de se redimir dos seus pecados.

Uma mulher marcada pela dor, um homem que carrega em seu coração a culpa por seus atos.

Duas almas feridas encontrando nos braços um do outro uma nova chance para serem felizes.

Um livro sobre culpa, perdão, rendição e a descoberta sobre o verdadeiro amor.


Olá, pessoal! Hoje vamos “falar” sobre mais um livro da Cinthia Freire, mais um que abalou o meu coração. Venham conhecer Vinícius e Poliana, vamos lá!


Vinícius é um cardiologista muito conceituado, adora o que faz, mas cometeu um erro no passado por ser imaturo e querer se vingança – isso é contado no primeiro livro da série –, e sofre muito agora por conta disso. Ele não se perdoa e tem pesadelos terríveis por conta disso.

No entanto, seu coração é bom. Vinícius organizou uma ONG, onde chama diversos amigos para contribuírem em suas áreas específicas, e isso tem consumido muito do seu tempo e sua convivência com os familiares se abalaram.

Poliana é uma moça doce, que cresceu em um orfanato e não conheceu seus pais, passando assim a considera Madre Otila como sua mãe. A mocinha trabalha como garçonete em um restaurante, tem poucos amigos e entre eles a mais próxima é Marina, uma amiga doidinha que só pensa em viver a vida e não pensa nas consequências. Poliana é marcada por um passado doloroso, causada por ser nova e inocente demais, ela entrou em uma enrascada com seu ex-marido e decidiu por um basta naquilo e mudou de vida. 

Sinto espasmo sacudirem meu corpo e começo a tremer, no começo são pequenos tremores em meu peito e em meus lábios, mas rapidamente se tornam maiores até que estão por todo corpo.

Poliana não queria envolvimento com ninguém, buscava apenas trabalhar e ganhar seu dinheiro com dignidade. E foi trabalhando que ela se deparou com Vinícius, ela o viu entrar no restaurante, encantou-se imediatamente com seu jeito e como ele conversava com seus amigos. De onde estava, ela via que tratava-se de um homem rico e bonito, mas também tinha certeza de que seus mundos eram totalmente diferentes. Poliana tem um trauma causado pelo seu passado, e por conta disso ela não deixa ninguém chegar muito perto, principalmente tratando-se de homens.

Vinícius também reparou em Poliana, no caixa do restaurante. Podia notar que tratava-se de uma bonita e simpática moça e desejou conversar com ela, mas não tinha coragem, pois sua timidez era evidente.

Depois disso, coincidentemente, eles se encontraram na ONG, e por lá trocaram flertes que não passaram disso, até que houve um acidente. Depois do acontecido, eles começaram a ficar próximos, no entanto, isso estava deixando Poliana sufocada, acendendo nela o seu maior medo – agora relacionado Vinícius – com medo de reviver toda sua dor com ele. Ela não conseguia entender como aquele “deus” poderia star verdadeiramente interessado por uma pessoa como ela.

Uma mulher traumatizada, um homem que não se perdoa pelo que fez, eles não passam de sombras do que foram em seus passados. Com uma pesada carga emocional dos dois lados, e pendencias a serem resolvidas na vida de ambos, agoniados e desesperados, cheios de lembranças que interferem em seus presentes, Vinícius e Poliana lutam diariamente para encontrar um ponto de equilíbrio.

A morte tem uma maneira peculiar de nos mostrar a vida por outro ângulo. Como se ao morrer a pessoa nos deixasse uma herança carregada de sentimentos. Bons e ruins.

Preciso lhes dizer que, os livros da série Segredos da Cinthia me deixam com uma carga emocional muito grande, fazendo com que eu demoro dias para entrar nos eixos novamente – digamos assim –, ou seja, eles literalmente me levam a uma ressaca literária, como disse, levo alguns dias para me reencontrar e consequentemente para conseguir escrever as resenhas sobres eles.

A autora, nos livros dessa série, deixa lições importantes ao virar de cada página, lições valiosas – ao menos para minha pessoa –, que que me fazem pensar muito sobre os assuntos abordados na trama. Me faz pensar principalmente sobre as pessoas que sofrem com dependência química. Me levando a ter um outro olhar sobre como as drogas podem destruir famílias, em como o vício atinge não só aquele que utiliza as drogas, mas também a todos ao redor, causando medo, dor, insegurança e tristeza, de modo que ela deixa evidente que isso é uma doença e que deve ser tratada. São livros que nos trazem mensagens reais, independente de se você conhece alguém que passa por isso ou não, esses livros vão te deixar com aquele gosto amargo na boca, de que isso poderia acontecer com alguém que você ama.

Esse é o segundo livro da Cinthia que “me joga na lama”, me deixa com uma ressaca literária, e vivenciando uma montanha russa de emoções por entre palavras. Quando terminei essas duas leituras – do primeiro volume da série e esse segundo – foi com lágrimas nos olhos e a esperança da redenção e da remissão de seus personagens. 

O livro é digital, não tenho muito o que falar, por conta disso, mas posso dizer que achei a capa linda!

Se recomendo a leitura? Com certeza! Para todos aqueles que gostam de leituras que abordam temas reais, ainda que dentro de ficções e que o fazem com coerência. Também para quem gosta de livros que nos fazem sentir, que nos despertam muitos sentimentos, enfim, para quem curte um bom drama romântico que, acima de tudo, como já disse antes, nos traz mensagens importantes.

[A autora] Cinthia Freire é paulista, apaixonada por romances, pipoca, chocolate e sorvete. Escritora por amor, afora as mil formas com que um bom romance pode ser contado e a magia por trás disso. Autora de Antes dos Vinte, Um novo amanhecer e da Trilogia Segredos. Mora em São Paulo com o marido, duas filhas e Jack, seu filho de quatro patas. 

Classificação: 

5 comentários :

  1. Ah nossa literatura nacional! Nos enche de orgulho né?
    Mesmo ainda sendo somente na plataforma digital, acompanho o trabalho da Cínthia há um tempo e estes dois livros tem dado o que falar.
    Trazer um romance com essa carga de emoções, de perdas no passado, as dores que tudo isso provoca e ainda ter que se permitirem a recomeçar, é algo maravilhoso a ser escrito.
    Quero muito conhecer a vida destes dois personagens e embarcar nessa história de amor e redenção!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Eu não costumo ler muito literatura nacional (sim, eu sei, é um desvio de carater. Tô tentando melhorar haha) e por isso não conhecia a autora e nem a série.

    Eu adoro essas histórias de mocinho salvar mocinha. Pode ser bem clichê, mas é assim que a gente adora não é mesmo?

    Mesmo se tratando de uma série, dá para ler separado?

    https://thereviewbooks.com.br/
    #thereviewbooks | @thereviewbooks

    ResponderExcluir
  3. Olá
    Estou cada dia mais surpresa com a literatura nacional e sinto que estou ficando cada vez mais apaixonada, antes eu só lia livros de autores de fora e não sabia o que estava perdendo. Eu quero muito conhecer essa história do começo, um livro cheio de emoções e reviravoltas, vou pesquisar sobre a resenha do primeiro livro.

    ResponderExcluir
  4. Fiquei meio dividida aqui... Ao mesmo tempo que amo livros com carga emocional forte, que gosto de personagens com passados turbulentos que os fazem encarar a vida de forma diferente, e que valorizo muito livros que transmitem boas lições, costumo fugir de obras que tratam de dependência química. Sim, não afeta só a pessoa envolvida diretamente, e minha família teve que lidar com isso duas vezes. É um tema importante, mas não gosto de relembrar o que vivemos.

    ResponderExcluir
  5. Oiee Cris ^^
    Eu andava doida para ler essa série já tinha um bom tempo, ai consegui comprar o primeiro livro... e não curti. Até achei bacana e tudo o mais, mas é exatamente o tipo de história da qual eu já estou mega cansada...haha' e não curti muito a escrita da autora, então abandonei o livro e desisti dos outros :/
    Mas fico feliz em saber que gostou tanto :)
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir

Agradecemos por comentar! ^_^



TOPO