21 de março de 2019

[Séries & tal] 13 Reasons Why.

em 21 de março de 2019

10 comentários


Título: 13 Reasons Why.  
 Produção original Netflix. Roteiristas: Brian  Yorkey.
Diretores: Franklin Gregg Araki, Helen Shaver, Jessica Yukle, Patrick Alvarez, Tom McCarthy. Estreia: 2017.
Número de temporadas: 03. Gênero: Drama, mistério.

Elenco: Dylan Minnette, Katherine Langford, Ajiona Alexus, Alisha Boe, Amy Hargreaves, Brandon Flynn, Brandon Larracuente, Brian d’Arcy James, Christian Navarro, Derek Luke,  Devin Druid, Giorgia Whigham, Henry Zaga, Josh Hamilton, Justin Prentice, Kate Walsh, Keiko Agena, Mark Pellegrino,  Michele Selene Ang, Miles Heizer, Ross Butler, Sosie Bacon, Steven Siver, Steven Weber,  Timothy Granaderos, Tom Everett Scott, Tom Maden, Tommy Dorfman.


Oi, pessoal! Hoje trouxe a resenha de maneira psicológica sobre a série "13 Reasons Why", que traz diversos temas recorrentes na adolescência e juventude.

Sinopse: “ Por que uma garota morta mentiria? ”

Baseada no best-seller de Jay Asher, a série produzida pela Netflix 13 Reasons Why acompanha Clay Jensen, que ao voltar da escola encontra uma misteriosa caixa com seu nome na porta de sua casa. Dentro dela, ele encontra fitas-cassetes que foram gravadas por Hannah Baker- sua colega de classe e paixão secreta, que cometera suicídio duas semanas antes. Nas fitas, Hannah explica as treze razões que a levaram a decisão de acabar com a própria vida. Será que Clay seria uma delas?



13 Reasons Why é uma série norte-americana, dirigida pelo roteirista Brian Yorkey, lançada em março de 2017 na Netflix. Ela foi baseada na obra literária "Os 13 Por quês" de Jay Asher, a série terá três temporadas, sendo que a última está prevista para maio de 2019.


Assuntos como depressão, bullying, isolamento social, abuso sexual, suicídio e drogas são abordados na série de um modo que conquistou a atenção do público rapidamente. Já que temas como esse retratam a realidade vivida por muitos jovens e adolescentes, e talvez os roteiristas quisessem mesmo impactar as pessoas que assistissem a série para promover reflexão sobre esses assuntos. Muitos acreditam que o seriado é perigoso por supostamente incentivar a revolta e o suicídio, mas existem pessoas que acreditam que 13 Reasons Why cumpriu bem o seu papel por trazer estes temas para debates.

A primeira temporada mostra a reação de cada um dos que receberam as fitas gravadas por Hannah, e assim eles ficam sabendo a versão dela de tudo que aconteceu, e os motivos que a levaram a desistir de viver.

A segunda temporada mostra como ficou a vida de cada um dos envolvidos, e as consequências dos atos de cada um deles, sejam eles bons ou não. Hannah marcou a vida deles de alguma forma como ferro em brasa na pele de alguém. Ela deixou cicatrizes em todas as almas que tiveram proximidade com ela. Foi uma bomba que explodiu e afetou o resto do mundo ao seu redor. Como um efeito dominó pedra por pedra começa a cair, um por um passa a perceber que as fitas podem acabar com o mundo perfeito deles, e quando elas chegam ao conhecimento de todos o efeito é catastrófico e todo mundo sofre.

[PERSONAGENS / ENREDO]

Há quem pense que Hannah Baker se fazia de vítima apesar de ter sofrido bullying e assédio na escola, que ela utilizava as tragédias que enfrentou para que tivessem pena dela, por outro lado há quem entendeu que ela nunca foi uma garota certinha e perfeita, e que não quis intencionalmente estragar a vida de todo mundo que por acaso atrapalhou a sua felicidade de alguma forma, ou seja, todos os seus colegas, os seus 13 por quês.

Ela é uma personagem que nos cativa pelo jeito doce e curiosa de ser, algumas vezes meio maluquinha do tipo que curte a vida sem pensar no amanhã, mas ao mesmo tempo mostra que no fundo sempre teve um grande vazio existencial que nunca foi preenchido pelo amor dos seus pais. Ela queria encontrar seu lugar no mundo e agarrar a felicidade antes que fosse embora, com certeza estava em uma depressão profunda, mas não conseguia externar isso e pedir ajuda, até que muitas coisas aconteceram e era tarde demais para impedi-la de abraçar a morte.

Clay Jensen se revela apaixonado por Hannah e sofre muito com a sua perda, ele não consegue aceitar que ela se foi, e sente uma imensa sede de vingança após ouvir todas as fitas. Ele é quem inicia um plano para mudar a imagem da Hannah e fazer justiça, e com o passar do tempo outras pessoas vão se juntando à sua cruzada. Ele é um rapaz tímido, engraçado, fofo e meigo, e com um grande coração. Alguém que até então não tinha noção do tamanho da maldade que pode existir dentro do coração das pessoas, e é isso que eu mais gostei nele, além de sua enorme lealdade com seus amigos.

O tipo de cara que briga consigo mesmo para ajudar quem precisa. Clay conta com a ajuda de Tony para superar a morte da amiga, já que ele foi o primeiro a ouvir as fitas e ficou incumbido de entregar as cópias para todos os destinatários que deveriam ouvi-las.

Tony Padilha é um rapaz com um passado conturbado, mas que se mostra aberto a ajudar Clay a seguir em frente, e fazer com que a morte de Hannah não tenha sido em vão.

Justin Foley foi a primeira paixão de Hannah na escola, mas ele quebrou o coração dela após ter sido dispensada, e ter se tornado alvo de comentários ofensivos no colégio. Ele acabou com a reputação dela e isso foi um golpe muito duro para a protagonista.

Apesar disso, fica difícil detestá-lo totalmente quando conhecemos sua história, pois ele vive em uma casa em que não é amado como gostaria, seu relacionamento com o padrasto é complicado e constantemente o garoto é agredido física ou verbalmente por ele, e ainda por cima precisa conviver com a triste realidade de que sua mãe se tornou uma viciada em drogas, muito provavelmente por causa da influência do marido.

Justin acaba se apaixonando pela melhor amiga de Hannah, Jessica Davis e, é por ela que ele encontra razões para sorrir e seguir em frente, apesar de sua vida não ser nada fácil, e de que na escola ele apenas mantenha as aparências com o time de que faz parte.

Jéssica Davis foi a primeira amiga de Hannah na escola, mas com o tempo se afastou dessa amizade por que se envolveu com as líderes de torcida do colégio e começou a conhecer novas pessoas. Hannah se sentia magoada por ter sido deixada de lado, mas não confrontou a ex- amiga por respeito.

Alex Standall também era novo na escola e acabou fazendo amizade com Hannah e Jéssica, mas com o tempo o trio acabou sendo desfeito por que o garoto e a ex-amiga de Hannah acabaram se envolvendo amorosamente, foi um relacionamento curto, mas intenso para os dois. Ele ficou muito perturbado após ouvir as fitas de Hannah e acaba tentando suicidar-se também, o que chocou todos os seus amigos. A culpa que ele carregava pelo que houve com Baker era demais para ele suportar.

Bryce Walker é o melhor amigo de Justin Foley, também é uma espécie de rei na escola Liberty, é um playboy líder do time de basquete, futebol americano e basebol. Ele comete vários crimes, mas acaba ficando impune mostrando que basta ter dinheiro para manipular a justiça ao seu favor. É um garoto que se sente sozinho por que os pais ricos viajam o tempo todo, então Wlaker preenche seu tempo com mulheres e festinhas com os amigos mais chegados.

Todas as pessoas que passaram pela vida da Hannah a decepcionam e a feriram muito de alguma forma, e isso apenas aumentou sentimentos depreciativos e negativos que ela mesma já tinha dentro de si.

Hanna sofreu pelas fotos compartilhadas do seu encontro com Justin, e com todos os comentários pejorativos que foram feitos sobre ela, depois vieram as fotos tiradas por Tyler, o fotógrafo da escola, elas foram feitas sem seu consentimento, e apenas com intenção de expô-la de forma vexatória na escola. Após isso, Hannah teve um encontro com Marcus Cole, e foi um fiasco, ele se atrasou de propósito, tentou abusar dela e fez propostas indecentes apenas para se exibir na frente dos amigos, isso machucou muito a Hannah.

Ryan Shaver é o jornalista da escola e cruzou o caminho de Hannah por acaso, porque ela participa de um grupo de poesia e se aproximou mais dele lá. Ela se sente confortável em escrever poemas com ele, mas Ryan pisa feio na bola após roubar um dos poemas dela e divulgar na revista. Hannah virou alvo de chacota e isso foi muito doloroso para ela.

Justin também foi alvo da ira de Hannah nas fitas, porque ele permitiu que Bryce estuprasse Jéssica enquanto ela estava inconsciente, e não fez nada para impedir apenas por medo de perder todos os benefícios que ele tinha ao ser amigo de um cara popular e rico.

Sheri Holland estava embriagada na festa em que Jéssica Davis deu em sua casa, e ao dirigir acabou derrubando uma placa de trânsito, Hannah estava no banco do carona e quis comunicar as autoridades, mas Sheri a deixou sozinha e fugiu por medo de assumir o que fez. Infelizmente aquilo causou um grave acidente que marcaria para sempre a vida da líder de torcida.

O Sr. e a Sra. Baker são os pais de Hannah e ficaram devastados pela morte dela. Mas demoram a compreender que a filha não tinha uma relação tão aberta com eles e por isso escondeu tantas coisas importantes. Hannah se sentia sozinha, pois não queria encher seus pais com os seus problemas porque eles enfrentavam dificuldades financeiras com sua farmácia e sempre discutiam por causa disso. Ela não queria ser um peso a mais para os dois, por isso escondeu sua dor e tristeza, fingiu que estava tudo bem até que não suportou mais e cometeu suicídio.

A última fita foi a tentativa de sobreviver de Hannah, quando ela procurou o conselheiro da escola e relatou um pouco do que lhe acontecia, mas sem entrar em detalhes. Kevin Potter não percebeu os sinais de que ela precisava de ajuda, assim como os pais dela não viram que ela deu indícios de que não estava bem. Agora era tarde demais para eles lamentarem.

[TEMÁTICAS]

BULLYING, SOLIDÃO, ISOLAMENTO

13 Reasons Why representou fielmente a pirâmide social que existe nas escolas norte-americanas. No topo sempre estão os populares, atletas, que agem como se fossem os donos da escola e sempre maltratam e humilham os que consideram esquisitos. As vítimas do bullying são pessoas solitárias como Hannah, Tyler e Clay. É como uma hierarquia e os que fazem parte do grupo seleto são protegidos por membros da escola. Por isso o time e os demais protegem tanto os atos do Bryce, pois sentem que precisam disso para contar com a própria proteção dele e seus privilégios. Um exemplo disso é Justin, que se apoia financeiramente nele por causa do que acontece em sua casa.

[ASSÉDIO SEXUAL E ESTUPRO]

Hannah foi alvo de assédio sexual desde seu encontro com Justin, mas tudo piorou depois de ter sido citada em uma lista por Alex, que queria impressionar o grupo de garotos populares.

"Quando você colocou meu nome na lista, você colocou um rótulo no meu corpo."

A partir daí Hannah começa a ser vista como a melhor carne do açougue, todo mundo quer um pedaço dela e vários garotos a assediam. Infelizmente, isso não acontece apenas na ficção, muitos jovens ainda acham que as mulheres são objetos sexuais para o seu prazer e não aceitam a rejeição ao seu convite para sair.

[SUICÍDIO]

Hannah se vê desesperada após sua conversa com Mr. Potter, sem forças para lidar com o trauma do estupro cometido por Bryce e por tudo mais que aconteceu, ela se entrega para a morte e comete suicídio.
Deixando as fitas, porém, Hannah se certificou que todos conheceriam sua história e que os culpados seriam responsabilizados. Alex, que está fragilizado mentalmente, acaba se sentindo culpado demais e tenta o suicídio também.

                         [TRANSTORNO DE PERSONALIDADE BODERLINE] 


Uma personagem que pouco apareceu, mas que mostrou um tema importante a ser discutido, foi a garçonete da cafeteria que Hannah e seus amigos costumavam frequentar. A estudante Skye, ela e Clay começam a se aproximar no fim da primeira temporada e ele vê nela a chance de tentar esquecer Hannah, pelo menos um pouco. E, com o tempo a gente começa  a conhecer mais sobre ela e a sua luta. A garota é uma adolescente impulsiva, com várias cicatrizes de cortes por toda parte do corpo, que só queria chamar a atenção do namorado e detesta sentir que precisa competir com alguém que morreu. 

A adolescente acaba tendo uma crise após terminar com Clay, vai para o hospital após uma provável overdose por remédios, pois Clay a encontrou desmaiada sendo levada pela ambulância e disseram que não era a primeira vez que isso acontecia com ela. De um modo realista, a série mostrou essa temática, pois quando Skye busca tratamento ela descreve para Clay que tem a sensação de que algumas vezes se sente dançando na beira do abismo após um período de euforia, e o que vinha em seguida era uma queda muito dolorosa. Era horrível não ter controle sobre seus impulsos e emoções, ela não queria ser mais um problema na vida dele que já sofria tanto com outras coisas.

O transtorno de Boderline é muito mais comum em garotas, seu início é durante a adolescência, ele é causado por traumas na infância e na adolescência também. As pessoas com esse transtorno podem ter compulsão por compras, por alimentos, impulsos sexuais descontrolados como os da personagem, uso de drogas, álcool, vazio existencial crônico, automutilação, tentativas de suicídio e etc. Não posso afirmar com certeza, mas o comportamento da Hannah também parecia demonstrar traços do transtorno, o que explica o por quê ela só procurava um motivo forte o suficiente para ter coragem de acabar com sua própria vida. Traços são alguns sintomas, o que indica que a pessoa não precisa ser internada, já a Skye tinha o diagnóstico completo e por isso precisou da intervenção psiquiátrica. Lembrando que eu não sou formada em psicologia, apenas estudo bastante o assunto porque me interesso por ele, ok? 

[Mensagem]

13 Reasons Why foi muito realista e trouxe diversos temas polêmicos e cenas cochantes que deixaram todo mundo um pouco mais alerta sobre os temas tratados. Mas nem todos podem assistir as duas temporadas disponíveis na Netflix, pois são cenas fortes que surgem na segunda temporada e que podem ser gatilhos para aqueles que já tem alguma pré-disposição para problemas psicológicos como ansiedade, por exemplo. É preciso preparar bem a mente para assistir a série, mas vale muito a pena e traz boas lições sobre o valor da família, a importância do diálogo e de lares mais estruturados, além disso, encontramos a importância da amizade verdadeira que nos ajuda a sair da escuridão, da dor, do medo, dos traumas e a seguir em frente.


Foi isso que vi na personagem Skye, que apareceu pouco na série, mas teve um papel importante na vida de Clay e o ajudou a ser alguém melhor.


A série expôs as dificuldades enfrentadas por todos os personagens e o contexto em que cada um vive, isso nos ajuda a entendê-los melhor. Assim, somos apresentados aos vários ângulos e pontos de vistas diferentes das situações, o que nos mostra o efeito das nossas escolas e comportamentos, como isso pode afetar positivamente ou negativamente a vida dos outros ao nosso redor.


Desse modo, a série representa a fragilidade da mente adolescente e nos faz perceber que nunca é tarde para termos mais empatia pelas pessoas e sermos mais gentis uns com os outros. Hoje temos o nosso amigo conosco, mas amanhã não sabemos se o veremos de novo, então precisamos agir mais com o coração, amar mais, aproveitar cada instante antes que seja tarde demais.


Eu recomendo a série para quem quiser assistir.

Beijos!

10 comentários :

  1. Eu tentei ver essa série, mas larguei mão e acho que isso se deve ao fato de ter ficado com muitas dúvidas e um tanto quanto incomodada com o livro. Nem mesmo os temas polêmicos foram capaz de me prender. Acredito que eu não estava com a mente preparada para isso, não me fez bem.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Eu li o livro há alguns anos, mas não tive a oportunidade de ver a série ainda, na verdade, irei procura-la agora para ver, já passou da hora...
    A série aborda temas muito pesados, lembro-me de não ter gostado muito de Hannah, mas é impossível não ficar tocada com a história dela e com os sentimentos que o Clay sentia pela mesma.

    ResponderExcluir
  3. Eu li há muito tempo o livro, e lembro que foi uma história que mexeu bastante comigo. Depois quando conferi a série foi mais um soco no estômago. Os assuntos tratados são bem intensos, e é uma série bem emocionante. Gostei muito de como você falou sobre os temas tratados.
    bejos

    ResponderExcluir
  4. Olá, gostei muito de conferir suas considerações sobre a série. Há anos li o livro em que a primeira temporada foi baseada e gostei muito, especialmente do Clay, mas não comecei a ver a série e comentários sobre a segunda temporada me deixaram meio com o pé atrás. Mas pelo seu post, gostei de saber mais sobre os personagens e é inegável que a série aborda temas importantes.

    ResponderExcluir
  5. Infelizmente eu não gostei da serie. A primeira temporada eu achei extremamente irresponsável., A segunda temporada me fez passar mal. Estão esticando muito uma produção que não faz bem.
    beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Eu adoro essa série, assim como o livro. Mas decidi não assistir a continuação porque o primeiro episódio foi frustrante demais e iria acabar com tudo aquilo de positivo que me gerou primeiramente.
    Bons temas e necessários que precisam ser debatidos não só nas salas de aula.

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bom?
    Eu assisti as duas temporadas dessa série e assim, não funcionou para mim porque eu tive crises de ansiedade assistindo os episódios. São muitas temáticas fortes sendo tratadas, como você explanou, e muitas delas foram me deixando muito angustiadas. Duas cenas em especial (a do suicídio da Hannah e a do Ryan, acho, aquela do banheiro que envolve um cabo de vassoura) desencadearam essas crises de ansiedade em mim. Acho super válido assistir a série, mas estar com o psicológico bom para tal. Curti muito seu post ♥
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Olá,
    eu iniciei a série, mas pro varios motivos e tempo acabei não voltando e terminando a primeira temporada. Não sei se realmente ela faz toda essa romantização do suicidio como ela foi acusada. Mas a historia é linda e emocionante. Preciso terminar.

    ResponderExcluir
  9. Eu fico meio dividida em relação a essa série. No começo, quando assisti, fiquei apaixonada pela história e pelos personagens, mas depois de algum tempo lendo sobre como a série aumentou depressões e distúrbios e inclusive suicídios, eu fui perdendo o encanto e hoje, acho que embora a primeira temporada tenha sido boa, eu gostei, acho que a segunda foi desnecessária e os vários assuntos abordados, foram de forma sensacionalista e bastante romantizados. enfim ,acho que quem quer assistir, tem que ter a cabeça bem resolvida e não sofrer de algum problema psicológico, porque a série distribui gatilhos a torto e a direito.

    ResponderExcluir

Agradecemos por comentar! ^_^



TOPO