Autores Livros Entrevistas Filmes Games HQ's Mangás Wattpad Sagas Seriados

14 de abril de 2016

Resenha: A Chama da Esperança - A Luz da Redenção #02.

Título: A Chama da Esperança.
Subtítulo: A Luz da Redenção.
Duologia: A Chama da Esperança.
Livro: 02. Ano: 2016.
Páginas: 340. ISBN: B01DPPQDRK.
Editora: Clube de Autores.
Autora: M.V. Garcia.
Gênero: Fantasia / Ficção / Romance.
Adicione ao Skoob

Adquira o seu exemplar físico no Clube de Autores
Adquira o seu e-book na Amazon


Sinopse:
A guerra tomou rumos improváveis. Kaira está desaparecida e o Exército da Esperança precisa continuar a agir. Hawk, o antigo Capitão do 1º Esquadrão de Willford, descobre sua própria origem e sua vida não será mais a mesma. Decidido a se afastar de tudo e de todos, ele descobrirá que não é fácil fugir dos erros do passado.
A conclusão desta saga nos traz novos segredos e personagens que remontam ao início da longa guerra entre Willford e a República. Para descobrir como essa guerra termina, você precisa conhecer os dois lados da história.   

Hey, tudo bem com vocês? Espero que sim! 
Então, hoje estou aqui para falar de um livro do qual gostei muito. Sério, eu esperei por ele e tive o presente de ser convidada pela autora para ser leitora beta de “A Chama da Esperança – A Luz da Redenção” que é o segundo livro da duologia A Chama da Esperança. Tive também o prazer de ser entre os leitores betas, a primeira a finalizar a leitura e a oportunidade de desabafar com a autora durante o desenrolar da mesma. Quando li o primeiro livro, “A Chama da Esperança – A princesa Renegada” do qual você encontra a resenha aqui no LTclicando aqui – realmente gostei bastante da história juvenil, cativante e gostosa construída por ela, esperei ansiosamente por esse que, graças aos Deuses, não demorou a sair. Sem mais delongas, vamos a resenha!

"Vá e sobreviva. A partir de agora é com você, Escreva a sua história."

O enredo do primeiro volume termina de forma crucial e claro que, eu, Ana, tenho a grave – ou nem tão grave assim – mania de desenvolver teorias do que vem por aí, as vezes acerto, as vezes não. Confesso para vocês que devido ao encerramento do primeiro livro que te deixa alucinadamente curiosa, fiz várias teorias, acertei algumas, outras não. E para ajudar, a autora postou um trecho do segundo volume na fanpage da duologia, e? Ana ficou desmaiada! HAHAHA. Diversas teorias sobre quem era a menina daquele quote me vieram a mente, e? Errei e errei bonito! 

Em “A Luz da Redenção” conhecemos novos personagens. A história se inicia de um jeito que gosto muito, a autora varia as cenas entre presente e passado o que nos proporciona encontrar muitas respostas ao decorrer da trama o que é ótimo, pois nenhuma questão fica solta. Tudo se encaixa e você se apaixona ainda mais pelo livro.
A história se passa no reino de Willford, no território da República dos Feiticeiros e em arredores. Albert Seres, o Rei de Willford era um jovem muito bondoso e apaixonou-se por Rosaria. Sim, ele é o Pai da nossa mocinha, Kaira... e ele falece. Com isto o segredo de Rosária é descoberto e utilizado em uma artimanha por seres desprezíveis. Tudo isso nos levando a uma aventura perigosa.

Depois desse acontecimento, Rosaria, a Rainha dos humanos era nada mais nada menos do que uma feiticeira! Como poderiam permitir que uma feiticeira governasse o reino dos humanos? Mas a guerra entre humanos e feiticeiros acaba do nada... ninguém sabe o que aconteceu: Onde está Rosaria? E os temidos Falcões Negros? Porém, depois de 15 anos, tudo começa novamente e a guerra explode ainda mais feroz do que antes. Ainda mais perigosa e cruel. Os Falcões Negros estão de volta com seu misterioso líder e tudo o que se conhece corre perigo. Kaira viu seu mudo desabar e conheceu o lado de sua vida que não sabia existir, agora? Cabe a ela ajudar a todos – ao menos tentar.

O pessoal aqui do Blog sabe que tenho uma tendência a gostar muito de personagens problemáticos e eles me chamam a atenção de imediato, assim foi com o Capitão do Primeiro Esquadrão, ele me cativou desde o primeiro instante em que me deparei com ele na história e não me decepcionou! Um personagem com seus demônios pessoais que regeram sua vida do início ao fim, simplesmente encantada com Hawk Kyrie! Eu sei, eu sei! Sei que a maioria das pessoas que leu o primeiro volume não gosta dele, mas, gosto é gosto e ele me cativou desde de o início de tudo: Fazer o que? Risos. Nem mesmo no coração literário a gente manda, então... Sim, ele é, desde o início de tudo, um dos meus personagens preferidos. O meu queridinho! Preciso dizer que Vincent me conquistou também. 

 " – Então devemos apenas aceitar que em Willford e na República as pessoas pensam diferente? Não podemos fazer nada para mudar? –  Shan."

Algo que foi muito gostoso de acompanhar foi a evolução da nossa mocinha, Kaira – ela realmente amadurece muito nesse segundo volume e mostra o motivo real da posição a qual é destinada, me conquistou mais nesse segundo do que no primeiro. Deixou de ser teimosa e marrenta sem necessidade e destinou a sua teimosia e determinação ao que realmente importava: resolver a equação que decidiria o destino do povo o qual ela pertencia, fossem eles humanos ou feiticeiros.  

É uma guerra sangrenta, dura, destrutiva. Com perdas para todos os lados, muitas mortes, mágoas, ressentimentos, desejo de vingança, traições, mentiras; uma trama bem construída e que te leva a um desfecho e tanto. Alianças improváveis são formadas, votos de confiança inimagináveis são concedidos, sentimentos despertados, necessidades de solucionar tudo e alcançar a paz. Mas quem disse que as coisas são fáceis? 

Depois do final caótico e completamente indecifrável de A Princesa Renegada o que encontramos em A Luz da Redenção é muito intenso, rápido, cheio de amarguras e dor, muita dor. E quando uma nova chance parece estar ao alcance das mãos de quem mais necessita? Quando parece que aquela será a sua redenção? As coisas viram de cabeça para baixo novamente e as perdas fazem com que um novo rumo seja traçado. Até onde você pode ir para se redimir? Até onde você conseguiria esconder o que fez para poder ajudar a quem você muito prejudicou em um passado não muito distante? Até onde o perdão oferecido para aqueles que resolverem unir as forças a você será realmente estendido? Até onde o seu lado vingativo vai? Até onde fala a razão e onde o sentimento toma conta e decide as coisas por você? São perguntas que o leitor vai se fazendo ao decorrer da trama e quem for ler vai compreender o motivo.  

Tive que parar a leitura por um momento, eu me apego fácil a determinados personagens e as vezes, quando esses sofrem não consigo seguir a leitura na hora. Os olhos ficam turvos, a emoção dos personagens invade minha alma e eu realmente preciso parar e continuar depois. Isso aconteceu com esse livro, entendi a mensagem que a autora quis passar, aliás, uma mensagem muito importante de que quem mais sofre com a guerra são aqueles que culpa alguma tem, nem culpa e nem poder de escolha ou condições reais para lidar com ela. As consequências e situações podem ser muitas e mudar destinos bruscamente e para sempre. Ainda não superei o ocorrido, mas... compreendi.

 " – Ela desapareceu, meu filho  –  disse Akiki, num sussurro que foi dito com muita dificuldade."

Não quero falar muito sobre a premissa, pois gosto de permitir que vocês surpreendam-se com o máximo possível do enredo. Mas posso dizer que, o livro é reto, direto e a leitura é gostosa. Nada é fácil, a M.V. Garcia lhe prende do início ao fim dessa obra, ela passa mensagens muito importantes com esse livro. 

A leitura me proporcionou momentos que me tiraram sorrisos, que me arrancaram algumas lágrimas silenciosamente, que me fizeram torcer pra alguns, querer carregar outros no colo e desejar literalmente matar outros personagens. Uma leitura que, ainda que seu enredo seja fantasioso e fictício traz belas mensagens reais embutidas. De fato, me pegou em alguns pontos, surpreendeu em outros, mas acima de tudo, sempre terei na lembrança os principais ensinamentos que a autora nos passa em sua obra: é preciso perdoar para ser feliz. É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã, pois muitas vezes, o amanhã não existe. E principalmente: O diferente pode coexistir e conviver bem um com o outro, basta querermos. Amizades, amores, a vida, são presentes que temos de valorizar e a empatia de se colocar no lugar do outro e entender que nem sempre tudo é o que parece é necessário.  

Gostei do desfecho de cada personagem os quais mencionei na primeira resenha  com duas ressalvas  risos. Confesso que o final do livro me causou aquela reação: Não, não, nãoooooooo! Mas, para descobrir o motivo? Só lendo... Ah, as últimas páginas... Ah, as últimas páginas....

Não posso falar sobre a parte física do livro por tê-lo lido na versão beta em e-book que foi gentilmente cedido pela autora para leitura. Mas posso dizer que a aparência do e-book estava muito bonita. Amei a capa e o fato dela trazer o Capitão lindamente estampado, adoro a ilustração feita pela própria autora. 

Indico a leitura para quem gosta do gênero fantástico e não se incomoda com o fato de ser uma leitura mais juvenil, todavia com um ótimo enredo, uma escrita fluida e cativante e que conta com muita criatividade. Bom, vou ficando por aqui. 


Quero aproveitar para agradecer a M.V. Garcia pela oportunidade de ter sido beta nesta obra, agradecer pela confiança e também pelo fato de ela nos mostrar, ainda que de modo fictício, a realidade de uma guerra: Não se tem muito tempo para sentir, você é obrigada a agir! Não se esqueçam disso e se optarem por ler o livro vocês entenderam determinados momentos. E não é porque as reações são rápidas que aquele ser não está sofrendo demasiadamente.

O bem e o o mal, a lua e o sol, a vida e a morte. 
Bem, é isso! Me despeço desses personagens que adorei conhecer e dos quais não esquecerei.

 Avaliação: 

20 comentários :

  1. Oi,
    esse tipo de livro que tem um pouco de fantasia é sempre confuso para mim, tenho que ler várias vezes para entender.
    Mas pelo que percebi a contonuação foi boa né? É legal quando um livro supera o que a gente espera.
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  2. Olá adoro obras com um quê de fantasia...não conhecia a obra e fiquei interessada ao saber que se trata de uma continuação. Parabéns pela resenha.

    Super beijo
    Literaleitura

    ResponderExcluir
  3. Ainnnn super curti, desde a outra resenha ta na minha lista pra ler.. agora mais ainda, foge do meu gênero usual, mas fiquei encantada com o enredo que tu descreveu.

    ResponderExcluir
  4. Adoro fantasia mas não consigo ler muitas ao mesmo tempo que acabo confundindo tudo. Eu tbm sou uma pessoa que cria mil teorias e eu amo quando não certo nenhuma pois ai sim a autora me surpreende.
    beijos
    http://estudiodecriacaoblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá, ainda não conhecia esse livro, muito linda a capa. Pelo que li na sua resenha e por ser um livro de fantasia, acho que eu iria gostar bastante de ler ele, a premissa parece super interessante e parece uma leitura bem cativante.

    ResponderExcluir
  6. Ooi! Eu já tinha comentado que gostei bastante da ideia do primeiro livro, que para mim, eu sei que pode me levar para altas aventuras junto com os personagens. Fiquei um pouco receosa agora sobre o desfecho da história nesse livro resenhado :c Medo de perder personagens que eu posso gostar no primeiro livro hahahaha Amei novamente a arte da capa e essa ilustração tá <3 Amo personagens masculinos com cabelos longos e brancos! Sério mesmo :3
    Gostei da resenha!
    Beeijos

    ResponderExcluir
  7. Oie
    bela resenha e que bom que gostou tanto, não é meu gênero de leitura favorito então deixarei a dica passar mas bem legal dica para quem curte

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá!

    Não é meu gênero favorito, porém, acho que daria uma chance a ele. Me senti meio perdida porque não li o volume anterior, mas gostei do que li. Espero poder ler logo.

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Não conhecia essa obra e nem a autora, fico feliz que tenha apreciado. Também gosto de livro de fantasia, são sempre tão fascinantes. Mas, pra começar a ler esse terei que ler o primeiro, certo? então, assim que tiver uma oportunidade mergulho de cabeça.
    Abs
    Ni
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  10. Ana, a capa é muito fofa.
    Adoro fantasia e só por isso o livro já me chamou atenção.
    Achei bem bacana o que você falou dele.
    Espero lê-lo, apesar dessa pegada juvenil.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bom?
    Não conhecia essa autora, mas vira e mexe dou uma olhada nesse site. Acho que já tinha visto o primeiro por lá e tenha me esquecido, pode ser. Porque realmente vivo naquele site! HAHAHAH Adoro fantasias e esse livro me pareceu incrível! Parabéns pela resenha! Quem sabe não dê uma chance a ele, né?

    Beijos, Rob
    www.estantedarob.com.br

    ResponderExcluir
  12. Que bom que a mocinha evoluiu e te conquistou mais nesse livro que no primeiro. :) Adoro o gênero fantástico e também amo juvenis, então acho que curtiria bastante esse enredo. Gosto bastante de livros que mexem com nossas emoções e que nos fazem sentir várias coisas diferentes.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  13. A Chama da Esperança que título sugestivo para hoje. Sei que vivo dizendo nos blogs que estou fugindo de juvenis e livros com continuação, mas acredito que deva ler esse. ‘a emoção dos personagens invade minha alma’ isso vive acontecendo comigo, e tem personagem que só é criado para sofrer e me fazer chorar até 2500

    ResponderExcluir
  14. tbm costumo gostar dos personagens mais problemáticos, e sempre me apego a personagens, e as suas tramas paralelas/pessoais... mas pelo gênero da história, creio que não leria o livro... ando noutra vibe de leitura ultimamente...
    bjs...

    ResponderExcluir
  15. Oii
    Gosto muito de livros mais infantis. E fantasia é tudo de bom!
    O livro parece ser muito bom! Vou procurar saber mais sobre o primeiro!
    Bjus

    ResponderExcluir
  16. Oie, tudo bem? Vejo que o livro mexeu bastante com você, eu não conhecia a duologia ainda e confesso que ainda não me senti tão animada pra ler. Mas adorei de coração a sua resenha!

    ResponderExcluir
  17. Oi, eu também sou assim, crio mil e uma teorias para os livros que leio, rsrs.
    Gostei bastante da resenha e da sinopse, as capas são lindas, tanto do primeiro quanto do segundo, vou dar uma olhada na Amazon, quem sabe eu adquira.
    Sucesso a autora!

    ResponderExcluir
  18. Oioi! Tudo bem?
    Não conhecia o livro A Chama da Esperança, não sou mto fã de capas desenhadas assim, acho infantil demais.
    mas to vendo que o livro é tudo de bom, achei a historia bem interessante, gosto de fantasia assim e conhecer mais aqui foi otimo.
    Saber q a protagonista evolui é bom tb, prefiro assim, afinal depois de tudo q ela passa, ela tem q mudar mesmo.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  19. Nossa, a forma em que você escreveu me cativou bastante, não conhecia as histórias e me interessou bastante. Parabens pela resenha <3

    ResponderExcluir
  20. Sua resenha me cativou! Não conhecia a duologia, mas pretendo dar uma lida no primeiro livro <3 achei a história beeeem interessante.
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir

Agradecemos por comentar! ^_^