Autores Livros Entrevistas Filmes Games HQ's Mangás Wattpad Sagas Seriados

1 de março de 2017

Resenha: Um Beijo Inesquecível - Os Bridgertons #07.

Título: Um Beijo Inesquecível.
Série: Os Bridgertons. Livro: 07.
Autora: Julia Quinn.
ISBN-13: 9788580414851.
ISBN-10: 8580414857.
Ano: 2016. Páginas: 272.
Idioma: Português.
Editora: Arqueiro.
Gênero: Romance / Romance de época / Ficção.
Categoria: Literatura Estrangeira.
Adicione ao Skoob.
Compre: aqui.

Sinopse:
Toda a alta sociedade concorda que não existe ninguém parecido com Hyacinth Bridgerton. Cruelmente inteligente e inesperadamente franca, ela já está em sua quarta temporada na vida social da elite, mas não consegue se impressionar com nenhum pretendente.
Num recital, Hyacinth conhece o belo e atraente Gareth St. Clair, neto de sua amiga Lady Danbury. Para sua surpresa, apesar da fama de libertino, ele é capaz de manter uma conversa adequada com ela e, às vezes, até deixá-la sem fala e com um frio na barriga.
Porém Hyacinth resiste à sedução do famoso conquistador. Para ela, cada palavra pronunciada por Gareth é um desafio que deve ser respondido à altura. Por isso, quando ele aparece na casa de Lady Danbury com um misterioso diário da avó italiana, ela resolve traduzir o texto, que pode conter segredos decisivos para o futuro dele.
Nessa tarefa, primeiro os dois se veem debatendo traduções, depois trocando confidências, até, por fim, quebrarem as regras sociais. E, ao passar o tempo juntos, eles vão descobrir que as respostas que buscam se encontram um no outro... e que não há nada de tão simples e de tão complicado quanto um beijo.


 
A hora de voltar para o universo da Família Bridgerton em busca de finalizar a série chegou, então... vamos de Um Beijo Inesquecível! O que dizer sobre os livros dessa série? São simplesmente deliciosos para se apreciar, passar o tempo, divertir-se, e emocionar-se em alguns momentos ao longo destes sete livros já lidos.

Nesse sétimo volume conhecemos a caçula da família, a senhorita Hyacinth. Ela que é dona de uma personalidade única, fato que, em muitos casos, assusta e por isso acaba afastando as pessoas, afinal, sua língua afiada e a inteligência demonstrada não são bem vistas para as moças de sua época – não é que as demais não possuam inteligência, é que as outras comportam-se como a sociedade espera (algumas não possuem mesmo  risos) em busca de um marido, mas não ela, se alguém for páreo para ela, que aceite-a e ame-a como ela é. É pedir demais? Talvez sim, talvez não, quem sabe? Em sua terceira temporada debutando, nossa mocinha recebeu alguns pedidos de casamento, bem poucos, na verdade, mas nenhum que despertasse o seu interesse, nenhum homem que fosse, realmente, capaz de lidar com ela. Quanto a isso, até mesmo Anthony – seu irmão mais velho, o visconde, responsável pela família desde o falecimento de seu Pai, concordava.

Também nos deparamos com um novo personagem, um libertino cara de pau, terrível como ninguém mais do que Lady Danbury – não é por acaso que ele é seu neto – risos. Gareth St. Clair é o futuro herdeiro do título de Barão da família St. Clair, depois do falecimento de seu irmão mais velho, entretanto, ele e Lord St. Clair – seu “pai” não tem uma boa relação, o motivo é desconhecido da sociedade, mas todos sabem que um não tolera o outro. Depois de recusar uma obrigação que Lord St. Clair queria lhe impor, Gareth recebeu a ajuda de sua avó materna – Lady D.  para seguir a vida até que o dia de assumir o seu baronato chegasse – se é que um dia esse momento chegará –. Dono de uma personalidade um pouco forte, quando está na presença de seu Pai, torna-se quase um menino – o abandono amoroso pode destruir o psicológico de uma pessoa. Ele é o tipo de homem que, apesar de suas andanças com mulheres, digamos desfrutáveis e viúvas que gostam de uma boa companhia, ainda assim, ele tem senso de honra e é um tremendo cavalheiro – nem sempre – risos – as vezes ele é um cretino honrado – vamos descrever assim – risos.

Bom, as histórias dessa série de romances de época costumam se passar em Londres, durante as temporadas em que as mocinhas debutam em belos vestidos e bailes estonteantes organizados por grandes damas da sociedade em busca de um bom casamento, não é diferente nesse volume. Só que nesse, temos apenas Hy (Hyacinth) da família Bridgerton participando. 

Lady D. e Hyacinth são amigas, a mocinha lê algumas histórias, todas as terças-feiras, para a velha senhora. Um laço forte formou-se entre as duas, é quase como se Hyacinth fosse sua neta. O que, é claro, Lady D. adoraria transformar em realidade, e discretamente trabalha para isso, levando seu neto a passar algum tempo com a nossa jovem Dama para que, quem sabe, eles se encantem? Vai saber... 

Temos nesse enredo um diário que esconde um um segredo, e também um tesouro escondido. Diário esse que pertenceu a Isabela, mãe de Lord St. Clair – pai de Gareth. Ele precisa de um tradutor de italiano e Hy, apesar de não ser fluente, é a primeira pessoa com que ele se depara, de confiança (confiança de sua avó materna, Lady D.) que pode lhe ajudar, e que está disposta a ajudá-lo. E é aí que a aventura começa. Conforme Hy avança na tradução do diário, eles vão encontrando-se em bailes e eventos da sociedade para trocar informações. Nisso, G. se dá conta de que, caso sua vovó Isabela tenha registrado algo sobre a sua real origem, Hy pode descobrir a verdade sobre a sua ele. 

Em meio a guerra de egos com seu "Pai", onde sem perceber, ele faz as coisas para atingir o mesmo e a reciproca é verdadeira, um vive para fazer o outro meio que sofrer, escondendo o motivo de todos, é claro; G. se dá conta que chegou a hora de deixar a vida de libertino para trás, só que as coisas não são tão fáceis assim. 
  • Iria o Pai revelar o motivo da briga dos dois para que a família de Hy não aceite seu pedido de casamento?
  • E ela, afastaria-se dele ao descobrir a verdade? 
  • Ele era um bastardo, quem aceitaria um bastardo? 
  • Lady D, sabia da verdade? 
  • O Pai sabia quem era seu verdadeiro Pai?
  • Segredos e mais segredos, ficariam enterrados para sempre?
  • Seria ele capaz de corromper Hy para obrigá-la a casar-se com ele? 
  • Se depois disso, ela descobrisse, o que faria? Sentiria-se usada? Negaria o enlace? O rejeitaria?
  • Até onde ele e o Pai estão dispostos a ir em meio ao ódio que destilam um para o outro?
  • E se tudo chegar aos ouvidos da sociedade, o que ele fará?
  • O que o amor é capaz de suportar, até onde vai a sua força e quem o sente de verdade?

São algumas das questões que ele tem de encarar, e que ela desconhece. Mas quem foi que disse que a nossa mocinha é fácil? Ela só apronta, não pensa bem nas consequências, não tem medo da noite, de andar sozinha, desconhece o perigo... ou o ignora? Anthony e a mãe deles não sabem mais o que fazer com ela, eles acreditam que Hy pode nunca encontrar alguém, as vezes ela afasta os poucos que poderiam ser capazes de encará-la. Já eu penso que, quando não é para ser as coisas não acontecem. 

Numa caçada ao tesouro muito gostosa de se acompanhar, Julia Quinn nos faz caminhar pelas ruas de Londres, evoca os nossos sentimentos de amor e de raiva, nos faz querer adentrar a história e dar uns tapas em alguns personagens, mas acima de tudo, nos faz viajar pelas páginas sem que possamos perceber que o tempo passou e quando notamo... o livro acabou. 

Confesso que esperava mais desse livro. Não, não... eu realmente adorei essa história, é só que o desfecho ficou para o fim, bem no finalzinho mesmo e eu sempre quero ver mais, ao menos um pouco mais antes da palavra fim, nessa série, ao menos. Não é que o desfecho não vá ser no fim, é só que... ficou aquela sensação dê: podia ter um poco mais, precisava ter! Sabe? 

Costumo dizer que já imaginamos o desfecho dos romances de época, mas... Ah, os segredos... as vezes eles permanecem para sempre. Será? Só lendo, não é?

As páginas são amareladas, fontes de tamanho confortável para leitura. A capa é linda e condizente com todas as demais capas dos livros da série, a editora tem esse cuidado e isso deixa Os Bridgertons ainda mais encantadores. A escrita da Julia é super fluída e a leitura torna-se muito rápida exatamente por isso. Alguns personagens dos volumes anteriores são citados, as participações super pequeninas de outros, o que nos deixa com saudades de todos aqueles de quem já conhecemos as histórias nos volumes anteriores. A narrativa é pelos pontos de vista de Hy e G, sendo em maior parte por Hy. Encontrei alguns errinhos de digitação que passaram pela revisão, mas nada que venha a atrapalhar ou incomodar durante a leitura. 
Livro super recomendado para quem quer uma leitura leve, divertida e gostosa. Para quem acompanha a série não pode faltar!

É isso, e que venha o que? o Altar, ah, ops... A caminho do altar! XD

[QUOTES]
"Não" repetiu Gareth e dessa vez soou diferente.Sentiu-se diferente. Aquilo era o fim, deu-se conta. O fim de sua infância, o fim da sua inocência e o começo de... Só Deus sabia do que era o começo.

"Preciso de um desafio", declarou Lady D. "Desafios deixam a mente afiada."

"Mãe", interrompeu Hyacinth, pousando a xícara firmemente sobre o pires, "não importa. Eu não ligo de não ser unanimidade. Se eu quisesse que todo mundo gostasse de mim, teria que ser boazinha e encantadora, sem graça e enfadonha o tempo todo, e isso não seria nada divertido, certo?"

"...existe um tipo de tristeza que consome a gente. Que puxa para baixo e a gente não consegue..." Violet se deteve e os lábios tremeram, os cantos se franzindo enquanto ela engolia em seco, tentando não chorar. "Bem, não consegue fazer nada. Não dá para explicar; só sentindo mesmo."

"Tem ideia do que significa ser só?", perguntou ele baixinho, ainda sem olhá-la. "Não por uma hora, não por uma noite, mas simplesmente saber, com absoluta certeza, que daqui a alguns anos você não terá ninguém..."

"Mas o sinal de uma mente verdadeiramente avançada é a capacidade de se adaptar a circunstancias cambiantes."

Avaliação:


Clique nos títulos abaixo para ler as resenhas da série Os Bridgertons.

18 comentários :

  1. Eu ainda não li os livros dessa série mas sou louca para ler, acho as capas maravilhosas e as histórias encantadoras. Gostei da sua resenha sobre esse volume e espero ler a série completa em breve.

    ResponderExcluir
  2. OOi!
    Aaah Os Bridgetons!!! Comprei os 5 primeiros livros da série no fim do ano passado para me arriscar nos romances de época. Acabou que desde que li o primeiro me apaixonei pela série, pela autora e pelo gênero.
    Ainda estou no quinto livro, mas não vejo a hora de chegar nessa. Realmente, é pura Hyacinth . haha
    Beijoos!

    ResponderExcluir
  3. Oiii, tudo bem?
    Infelizmente dessa vez a obra não despertou meu interesse, por isso irei pular a dica, mas fico feliz que tenha gostado do livro e trazido a resenha para nós.
    Beijinhos da Morgs!

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Eu adoro os livros da Julia Quinn. Sou super fã dos Bridgertons., principalmente da danadinha da Hyacinth.
    Adorei sua resenha!
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Ana! Essa série tem uma quantidade tão grande de fãs e a Julia é tão elogiada que acabei me rendendo a um livro dela, estou lendo o primeiro da série Quarteto Smythe-smith. "Um beijo inesquecível", pela sua resenha, tem todos os elementos que encontramos em outros romances de época, mas essa acréscimo do mistério relacionado ao diário me deixou bastante curiosa! Quem sabe um dia eu não resolva conhecer os Bridgertons?

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem?
    Sou louca para ler esta série!
    Pena que tenha ficado meio corrido o final, não gosto muito quando isso acontece.
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Realmente, para quem acompanha a série e gosta, essa leitura é indispensável. Conheço a escrita da autora, mas não sou o público alvo.

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem?

    Não sou mais fã do gênero e nunca me interessei pela literatura da autora. Que triste que o desenvolvimento é longo e o desfecho corrido, acho meio chato e irritante. A capa é bem bonita mesmo, mas não me atrai.

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Gente, é tanto livro de Julia Quinn pipocando por aí que eu fico confusa e nem sei por onde começar! haha
    Tenho vontade de começar a série Os Bridgertons, porém não tenho tempo e nem sei se teria tanta paciência para tanto romance de época assim, mas quem sabe em doses homeopáticas?

    Das resenhas da autora que vi, essa história foi a que menos me despertou interesse.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Adorei a história de Hyacinth, e acho que ela é Garreth fizeram um ótimo casal. Como sempre a autora me fez dar.boas risadas ao longo das leitura. Uma saga que me encantou do início ao fim
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Esse livro já está separado para ser lido agora em março. Até comecei, mas tive que para ler dois livros que tinha mais prioridade. Estou bem ansiosa para continuar a leitura e chegar ao final da série.

    ResponderExcluir
  12. Olá, tudo bem? A história da Hyancith é uma das minhas favoritas <3 Adoro esse mistério todo envolta dessas jóias e a personalidade dela. É cativante. Não é a toa que ele está entre meus preferidos da série. E outra, Gareth MELHOR PESSOA <3 Amo de paixão!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Infelizmente, ainda hoje a sociedade espera que moças se comportem dentro de uma padrão que não pode ser muito inteligente, nada de língua afiada e tantas outras questões que as mulheres têm que enfrentar todos os dias.
    Não li essa série, mas leio tantas resenhas desses livro que me sinto íntima.

    beijos

    ResponderExcluir
  14. Menina do céu! Que livro perfeito! Vou comprar! Preciso dele! Obrigada pela dica! Seus quotes foram maravilhosos!

    Eliziane Dias

    ResponderExcluir
  15. Oi, tudo bem?
    Amo JQ e já finalizei a série! para mim os melhores são os livros impar, os pares são bons mas não me agradaram muito! Com esse ri muito! É muito legal ver como a pequena e petulante Hyacinth se transforma em uma mulher bem decidida! Adorei sua resenha!

    ResponderExcluir
  16. Oi, Ana ^^
    Fico muito feliz em saber que a Hy tem uma personalidade nada condizente do esperado das moças de época, isso por si só me chama a atenção e me faz querer tê-la como favorita antes mesmo de ter lido essa série da Julia Quinn.
    É engraçado como adoramos os cafajestes pois em algum momento eles são tão cavaleiros que suspiramos, não é mesmo? Ahuaahaua
    Não sei se fico feliz ou frustrado pelos segredos serem revelados bem no finalzinho do livro, mas pelo que pude perceber isso não é característica da autora então agradeço por ser nesse volume para dar uma diferenciada dos outros da série. E que família grande, hein???
    Adorei a resenha. ^^
    Bjs

    ResponderExcluir
  17. Olá! Vejo muitas pessoas falando bem dos livros da Julia Quinn. Li muitas resenhas falando dos Os Bridgertons, mas ainda quero ler os livros. Pena que esperava mais do livro, mas que bom que apesar disso adorou. Beijos'

    ResponderExcluir
  18. Olá!
    Eu sou apaixonada por esse universo que a autora criou, mas como ainda estou no terceiro livro, para começar o quarto, estou meio perdido nos acontecimentos desse. Adorei poder conferir a sua resenha, e espero amar esse livro tanto quanto você.
    Beijos.

    ResponderExcluir

Agradecemos por comentar! ^_^