Autores Livros Entrevistas Filmes Games HQ's Mangás Wattpad Sagas Seriados

2 de julho de 2017

Sobre Sagas: Filhos Do Éden



      Boa noite galera, aqui quem fala é o Júlio e vim com uma postagem diferente essa semana. Nunca postei sobre uma saga antes e espero me sair bem, vamos lá!!

Essa saga foi escrita pelo brasileiro Eduardo Spohr após lançar o seu livro "A batalha do Apocalipse". As duas histórias se completam, com o diferencial de "Filhos do Éden" se passar nos dias atuais. 

Os anjos apresentados nessa saga são de castas mais baixas, mas mesmo assim poderosas, com destaque pra Denyel, um anjo exilado muito bom de briga e que é o protagonista no segundo livro, Anjos da Morte. 

      Existe um personagem em comum entre Filhos do Éden e A Batalha do Apocalipse. O Primeiro Anjo é um dos melhores personagens criados por Spohr e um dos mais poderosos,  o leitor fica o tempo inteiro curioso para descobrir qual é realmente o objetivo desse anjo e o motivo de seu poder ser tão grande.


      O autor, antes de ter apoio das editoras, conseguiu vender mais de 4000 exemplares de seu primeiro livro de forma independente, para só depois vir a ser publicado pelo selo Verus da editora Record em 2010, alcançando a marca de 50 mil exemplares vendidos só nesse ano. Em 2011 lançou "Herdeiros de Atlântida" que da início a filhos do Éden. Ainda foram lançados mais tarde, um livro com o universo expandido da saga, e outro para jogos de RPG.

 Agora vamos conhecer as sinopses dos livros e suas capas. 

Herdeiros de Atlântida


Há uma guerra no céu. O confronto civil entre o arcanjo Miguel e as tropas revolucionárias de seu irmão, Gabriel, devasta as sete camadas do paraíso. Com as legiões divididas, as fortalezas sitiadas, os generais estabeleceram um armistício na terra, uma trégua frágil e delicada, que pode desmoronar a qualquer instante.
Enquanto os querubins se enfrentam num embate de sangue e espadas, dois anjos são enviados ao mundo físico com a tarefa de resgatar Kaira, uma capitã dos exércitos rebeldes, desaparecida enquanto investigava uma suposta violação do tratado. A missão revelará as tramas de uma conspiração milenar, um plano que, se concluído, reverterá o equilíbrio de forças no céu e ameaçará toda vida humana na terra.
Ao lado de Denyel, um ex-espião em busca de anistia, os celestiais partirão em uma jornada através de cidades, selvas e mares, enfrentarão demônios e deuses, numa trilha que os levará às ruínas da maior nação terrena anterior ao dilúvio – o reino perdido de Atlântida.

Anjos Da Morte




Quando o século XX raiou, o tecido da realidade, a barreira mística que separa os mundos físico e espiritual, adensou-se. Os novos meios de transporte, as ferrovias e os barcos a vapor levaram o progresso aos cantos mais distantes do globo, pervertendo os nódulos mágicos, apagando o poder dos velhos santuários, afastando os mortais da natureza divina.
Isolados no Sexto Céu, incapazes de enxergar a terra justamente pelo agravamento do tecido, a casta dos malakins, cuja função é estudar e catalogar os movimentos do cosmo, solicitou ao arcanjo Miguel a criação de uma brigada que descesse à Haled para pesquisar os avanços da civilização. O príncipe ofereceu o serviço dos exilados, que há milênios atuavam na sociedade terrestre, alheios às batalhas que se desenrolavam no paraíso.
Destacados, então, para servir sob as ordens dos malakins, esses exilados foram reorganizados sob a forma de um esquadrão de combate. Sua tarefa, a partir de agora, seria participar das guerras humanas, disfarçados de meros recrutas, para anotar as façanhas militares, as decisões de campanha, e depois relatá-las aos seus superiores celestes.
Esse esquadrão tomou parte em todos os conflitos do século XX, das sangrentas praias da Normandia ao colapso da União Soviética. Embora muitos não desejassem matar, era exatamente isso o que lhes foi ordenado, e o que infelizmente acabaram fazendo.
Em paralelo às aventuras de Denyel, que se desenrolam cronologicamente de 1944 a 1989, acompanhamos também, no tempo presente, a jornada de Kaira e Urakin em busca do amigo perdido, que caíra nas águas douradas do rio Oceanus, durante a destruição da ilha-fortaleza de Athea em Herdeiros de Atlântida.

Paraíso Perdido


No princípio, Deus criou a luz, as galáxias e os seres vivos, partindo em seguida para o eterno descanso. Os arcanjos tomaram o controle do céu e os sentinelas, um coro inferior de alados, assumiram a província da terra.
Relegados ao paraíso, ordenados a servir, não a governar, os arcanjos invejaram a espécie humana, então Lúcifer, a Estrela da Manhã, convenceu seu irmão – Miguel, o Príncipe dos Anjos – a destruir cada homem e cada mulher no planeta. Os sentinelas se opuseram a eles, foram perseguidos e seu líder, Metatron, arrastado à prisão, para de lá finalmente escapar, agora que o Apocalipse se anuncia. Dos calabouços celestes surgiu o boato de que, enlouquecido, ele traçara um plano secreto, descobrindo um jeito de retomar seu santuário perdido, tornando-se o único e soberano deus sobre o mundo.
Antes da Batalha do Armagedon, antes que o sétimo dia encontre seu fim, dois antigos aliados, Lúcifer e Miguel, atuais adversários, se deparam com uma nova ameaça – uma que já consideravam vencida: a perpétua luta entre o sagrado e o profano, entre os arcanjos e os sentinelas, que novamente, e pela última vez, se baterão pelo domínio da terra, agora e para sempre.

      E então, curtiram? Uma coisa é certa pessoal, é uma história e tanto, cheia de aventura e cenas de ação. A mitologia se mostra presente o tempo inteiro e o leitor é levado a várias localidades, tanto reais quanto mitológicas. Quanto à leitura, mesmo tendo sido lançado antes, leiam a trilogia primeiro para só depois lerem A Batalha do Apocalipse, muitas coisas ficarão mais claras dessa forma.

 Vou ficando por aqui, até a próxima semana!!!

13 comentários :

  1. Olá!
    Até hoje, do Spohr, só li A Batalha do Apocalipse. Já ouvi falar muito dessa saga. Vou ler se eu conseguir dar uma organizada nas minhas séries em aberto ;)
    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Oiê!!
    Tenho muita curiosidade quanto as histórias criadas por esse autor, mas tentei ler, há alguns anos, A batalha do Apocalipse e foi um desastre total, achei muito enfadonho o estilo dele, mas as histórias em si são bem interessantes, quem sabe um dia eu volte a dar uma chance, né.

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Que bacana esse post, sou fã de Eduardo Spohr desde A Batalha do Apocalipse ( E acho que não tem nada a ver ler a saga primeiro, embora o livro confunde um pouquinho)rs e da saga Filhos do éden só falta ler Paraíso perdido que já tenho aqui.
    Nossa amei! Bjs

    ResponderExcluir
  4. Oie,

    Namoro essa coleção a algum tempo.. mas falta verba pra adquirir... mas enquanto isso fica na lista de desejos... quem sabe.
    Adorei seu post... bem completinho, parabéns pela dedicação!

    Beijokas!

    ResponderExcluir
  5. Olá Julio,
    Adorei o post!
    Já li A batalha do apocalipse desse autor e gostei muito do que encontrei. Morro de vontade de ler esses livros e fiquei ainda mais curiosa agora. Espero ler logo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá!!! Já faz tempo que venho querendo comprar esses livros depois que li Percy Jackson rs
    Ouço falar muito bem desses livros e dos outros do autor.
    Espero ter oportunidade de ler em breve <3 bjos ^^

    ResponderExcluir
  7. Olá! Já li a Batalha do Apocalipse e fiquei apaixonada pela história, Eduardo sabe como trabalhar com mitologias, a riqueza de detalhes e o arco dos personagens é impressionante! Ainda não li essa saga, mas claro que irei fazer isso, abraços!

    ResponderExcluir
  8. Olá Julio, tudo bem???
    Ja tive vontade de ler A Batalha, mas depois fui desistindo e a cada resenha que eu lia, tinha certeza de que não era pra mim, mas fiquei super empolgada, com a quantidade de livros vendidos e o quanto o autor é querido, só precisava de mais divulgação e adorei a sua postagem de hoje. Xero!

    ResponderExcluir
  9. Olá!

    Tenho um amigo muito fã do Eduardo Spohr. Confesso que ele não faz meu gênero, mas fico feliz em ver todo o sucesso que ele está tendo!

    ResponderExcluir
  10. Ola! Adoro fantasia, mas infelizmente são poucas os livros brasileiros desse gênero conhecidos! Muito obrigado pela dica!

    ResponderExcluir
  11. Olá Júlio!
    Conheço a série Pq meu marido gosta muito do autor, mas confesso que não li, e depois de A batalha do Apocalipse que se no me engano tb é dele, na pretendo ler kkkkkkk, não consegui terminar a obra e acabei ficando meio frustrada com a narrativa dele.

    Beijokas

    ResponderExcluir
  12. Olá, tudo bem?
    Ainda não li, mas tenho muita curiosidade em realizar a leitura desse livro, um beijo.

    ResponderExcluir
  13. Oiii!
    Já ouvi falar muito bem dessa série. Não sei se eu iria gostar por envolver anjos e demônios. Fico feliz por um autor nacional estar fazendo tanto sucesso assim. Torço para que ele continue escrevendo cada vez mais.
    Beijos

    ResponderExcluir

Agradecemos por comentar! ^_^