Autores Livros Entrevistas Filmes Games HQ's Mangás Wattpad Sagas Seriados

10 de junho de 2015

Informações & Curiosidades: Gênero - Subgênero literário "Mom- Lit."


Vamos conhecer um pouco mais sobre os gêneros literários? Para dar continuidade para a nossa coluna "Informações & Curiosidades" dessa vez escolhi trazer para vocês um pouquinho sobre o subgênero "Mom-lit". Vamos lá?!


"Literatura para mamães" - é assim que podemos traduzir mom-lit. Na verdade, o mom-lit é um subgênero dentro do gênero Chick-lit (leia sobre o gênero Chick-Lit clicando aqui) e que, se destina a abordar temáticas envolvendo: maternidade, a criação dos filhos e ou gestações. Costumam trazer histórias bem humoradas, que apresentam a aventura e a loucura que pode ser a maternidade. E pode abordar de tudo um pouco que envolva esse assunto.

As histórias apresentam protagonistas femininas centradas nos dilemas e peculiaridades da figura materna. O gênero é muito reconhecido e tem um bom mercado nas livrarias estrangeiras, é bem aceito pelo púbico local - principalmente dentre as norte-americanas -. Entretanto, no Brasil, o gênero ainda não se firmou bem até o presente momento - talvez pelo fato da mulher Brasileira na atualidade tender a ter filhos mais tarde e as vezes nem mesmo tê-los? Não sei dizer, mas é inegável que os livros classificados como mom-lit encontram certas dificuldades entre nós, leitores e leitoras do Brasil.

As mocinhas "reais" - digamos assim -, é o que estes livros trazem (podemos dizer isso dos Chick-lits em geral - creio eu). É uma receita que costuma dar certo o fato de contar histórias que se assemelham a luta de muitas das mulheres, todavia, a literatura mom-lit, precisa ser mais divulgada aqui para que conquiste seu espaço.

Esse subgênero ainda é dividido em três, sendo essas divisões denominadas como: Pregnancy-Lit (que podemos traduzir como: literatura na gravidez); Baby-lit (que pode-se definir como: literatura com bebês) e por último o General Mom-lit (que pode receber a definição: todo o restante que englobe a maternidade).

Atualmente, existem tantas, tantas nomenclaturas para reconhecermos o teor dos livros que, de certa forma, alguns leitores podem ficar confusos, já outros se privilegiam com o conhecimento e adquirem as obras que realmente querem ler - sem tiros no escuro, digamos assim. As editoras utilizam alguns métodos para "emplacar" alguns títulos no mercado, são artimanhas do mundo literário e com isso, podemos ficar literalmente perdidos e encontrar um título classificado em vários gêneros, subgêneros e divisões. Ou seja: Muitas vezes, alguns títulos que foram originalmente lançados dento de um determinado gênero são relançados em outro. Exemplo: Um exemplar classificado como chick-lit é relançado como um mom lit (que na verdade é uma subcategoria do primeiro) e as vezes consegue emplacar e vice-versa. Lembrando que esse estilo de livros sempre existiram e que na verdade, a tendência é de que com a difusão deles os mesmos emplaquem finalmente dentre os leitores Brasileiros.

Bem, acho que não tenho mais como alongar a explicação e ao meu ver, nem se faz necessário. Em um resumo geral, mom-lit é exatamente o que está descrito acima. Espero não tê-los deixado muito confusos e ter conseguido explicar o que é o subgênero mom-lit. 



Exemplares que se enquadram na classificação "MOM-LIT"

Sinopse:
Sinopse: Foi demais da conta para Claire o dia do nascimento da sua filha. Ao acordar no quarto do hospital depara com o marido olhando-a na cama. Deduzindo tratar-se de algum tipo de sinal de respeito, ela nem suspeita de que ele soltará a notícia da sua iminente separação: “Ouça, Claire, lamento muito, mas encontrei outra pessoa e vou ficar com ela. Desculpe quanto ao bebê e todo o resto, deixar você desse jeito...” Em seguida, dá meia-volta e deixa rapidamente o quarto. De fato, ele sai quase correndo. Com 29 anos, uma filha recém-nascida nos braços e um marido que acabou de confessar um caso de mais de seis meses com a vizinha também casada, Claire se resume a um coração partido, um corpo inteiramente redondo, aparentando uma melancia, e os efeitos colaterais da gravidez, como, digamos, um canal de nascimento dez vezes maior que seu tamanho normal! Não tendo nada melhor em vista, Claire volta a morar com sua excêntrica família: duas irmãs, uma delas obcecada pelo oculto, e a outra, uma demolidora de corações; uma mãe viciada em telenovelas e com fobia de cozinha; e um pai à beira de um ataque de nervos. Depois de muitos dias em depressão, bebedeira e choro, Claire decide avaliar os prós e contras de um casamento de três anos. E começa a se sentir melhor. Aliás, bem melhor. É justamente nesse momento que James, seu ex-marido, reaparece, para convence-la a assumir a culpa por tê-lo jogado nos braços de outra mulher. Claire irá recebê-lo, mas lhe reservará uma bela surpresa...
 Sinopse:
A vida de nossa querida Becky Bloom vai muito bem, obrigada! Além de estar trabalhando numa loja como compradora pessoal, ela e Luke estão à procura de uma casa nova (um lugar bem espaçoso, com direito a um closet só para guardar os sapatos!) e... Becky está grávida!!! Nossa amiga gastadora não poderia estar mais feliz - sobretudo porque descobriu que fazer umas comprinhas é ótimo para enjoos matinais. E tudo tem de estar perfeito para o bebê - a decoração do quarto, o carrinho de última geração e a obstetra mais badalada da cidade. Mas surge um probleminha - a doutora famosa nada mais é que uma ex-namorada de Luke. Ao que parece, a gravidez de Becky não vai ser tão tranquila...
 
Sinopse:
Bella é uma executiva de sucesso, com seus 28 anos já tem um Mercedes, só usa roupas de grife e tem uma beleza contagiante. Divide seu tempo corrido entre o trabalho, saídas em pubs com os amigos e seu marido Don. Ele já está beirando os 40 anos, mas com charme e galanteador, ambos se conheceram em uma festa e foi amor à primeira vista. Três meses depois estavam morando juntos e preparando o casamento. Um ano após se casarem Bella está com uma vontade estranha para as executivas londrinas, quer ter um filho. Com dinheiro, conforto, um belo emprego, carro e roupas poderiam fazer Bella não querer mais nada. Só que sua cabeça e corpo não param de dizer que precisa ter um filho, isto a leva a um plano estratégico que convença o marido de que um bebê seria o melhor investimento de suas vidas. Mas... o plano falha e a gravidez acontece.




E aí, me conte: Já leu livros que você pode classificar como Mom-Lit? Gostou? Você fica confuso com tantas classificações ou é adepto delas?

Obrigada por nos acompanharem e até a próxima!





10 comentários :

  1. Olá, não conhecia esse subgênero e achei muito interessante essa coluna, com informações bastante úteis.
    Não sou muito adepta do Chick lit em si, mas para quem gosta deve ser ótimo. Um livro especialmente para mamães parece ser ótimo!
    Creio que aqui no Brasil não é muito difundido por conta das mulheres serem mais atarefadas e terem pouco tempo para ler. Já as que tem costume de ler preferem algo mais clássico. É raro eu ver mamães que encontram tempo para si e para se deliciar com um bom livro rs
    Eu já tinha ouvido falar de Melancia, mas não cheguei a lê-lo

    http://ocasulodasletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi. Gosto de colunas informativas, mas não curti o subgênero.
    Fico feliz que ele tenha pouca divulgação no país, sobre o pouco que li, eles me parecem uma maneira de manter uma estrutura social falha...

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia esse subgênero, são tantos, mas adoro principalmente os da Sophie são hilários. Como mãe de um casal amo essas leituras. beijos

    beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  4. Oie Ana!
    Sabe, eu não conhecia esse subgênero, e para falar a verdade não sei se me atrai muito.
    Adoro essas colunas informativas de vocês! <3

    Beijão!
    http://www.cheirodelivronacional.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Essa é nova para mim. Não conhecia esse subgênero do chick-lit, apesar de já ter lido Melancia. Não é um gênero que eu procuraria espontaneamente para comprar, mas leria caso caísse nas minhas mãos.
    Acho muito legal essa coluna informativa de vocês e apoio que tenha sempre que vocês tiverem coisas legais para trazerem para nós! :D

    ResponderExcluir
  6. Hello! Chick-lit eu adoro..mas não sabia dessa subdivisão.. Achei bem legal viu?!
    Li os primeiros livros da Becky Bloom e amo o jeito engraçado de lidar com as coisas.. Hahaha.
    Adoro essa coluna no blog, aprendo tanto.
    Bjus

    ResponderExcluir
  7. Hello! Chick-lit eu adoro..mas não sabia dessa subdivisão.. Achei bem legal viu?!
    Li os primeiros livros da Becky Bloom e amo o jeito engraçado de lidar com as coisas.. Hahaha.
    Adoro essa coluna no blog, aprendo tanto.
    Bjus

    ResponderExcluir
  8. Hello! Chick-lit eu adoro..mas não sabia dessa subdivisão.. Achei bem legal viu?!
    Li os primeiros livros da Becky Bloom e amo o jeito engraçado de lidar com as coisas.. Hahaha.
    Adoro essa coluna no blog, aprendo tanto.
    Bjus

    ResponderExcluir
  9. adorei seu post!!!! não sabia sobre esse gênero e pra mim foi uma novidade o mom-lit,
    bjus

    ResponderExcluir
  10. Oie!!!

    adorei o post, o chick-lit realmente tem vários sub-gêneros eu não tinha muita noção de todos até um tempinho atrás quando uma amiga que ama o gênero me apresentou as variações, apesar de gostar muito dele acho que ainda não li nenhum mom-lit, mas quem sabe mais para frente. beijão*...*
    http://notinhasderodape.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Agradecemos por comentar! ^_^