Autores Livros Entrevistas Filmes Games HQ's Mangás Wattpad Sagas Seriados

20 de julho de 2015

Resenha: Amante Eterno - IAN #02.

Título Nacional: Amante Eterno.
Série: Irmandade da Adaga Negra.
Livro: 02.
Ano de Lançamento nacional: 2010.
Número de Páginas: 448.
Editora: Universo dos Livros (UDL).
Título Original: Lover Eternal.
Ano de Lançamento: 2006.
Autora: J.R. Ward.
Gênero: Romance, Fantasia urbana, Erótico, Literatura estrangeira. 

Sinopse:

Nas sombras da noite em Caldwell, Nova York, desenrola-se uma sórdida e cruel guerra entre vampiros e seus carrascos. Há uma irmandade secreta, sem igual, formada por seis vampiros defensores de sua raça. Possuído por uma besta letal, Rhage é o membro mais perigoso da Irmandade da Adaga Negra. Dentro da Irmandade, Rhage é o vampiro de apetites mais vorazes. É o melhor lutador, o mais rápido a reagir, baseado em seus instintos, e o amante mais voraz, porque em seu interior arde uma feroz maldição lançada pela Virgem Escriba. Possuído por esse lado sombrio, Rhage teme constantemente que o dragão dentro de si seja liberado, convertendo-o num perigo para todos à sua volta. Mary Luce, uma sobrevivente de muitas adversidades, entra de maneira involuntária no universo dos vampiros, contando apenas com a proteção de Rhage. Concentrada em combater a sua própria maldição, potencialmente mortal, Mary não está buscando o amor e perdeu sua fé em milagres tempos atrás. Mas quando a intensa atração animal de Rhage se transforma em algo mais emocional, ele sabe que Mary precisa ser sua e de mais ninguém. E enquanto os inimigos fecham o cerco, Mary luta desesperadamente para alcançar a vida eterna com aquele que ama...


Se você leu "Amante Sombrio" - primeiro livro da série - e gostou, provavelmente, você sentiu-se compelido a buscar imediatamente pela continuação que é "Amante Eterno". Esse que por sua vez, até o presente momento, ainda é o meu livro favorito da série. Mas vamos ao que interessa, a resenha!


"Seu coração está disparado, Mary." -- "Is… isso é porque estou com medo." -- "Medo não é a única coisa que você está sentindo. Por que você não verifica o que suas mãos estão fazendo?" -- Verdade.  Estavam colocadas sobre seus bíceps. E os agarravam, aproximando-o mais. As unhas cravando-se em sua pele. Quando ela o soltou, ele franziu a testa. -- "Não pare, estava gostoso."

Uma guerra na calada da noite, um Guerreiro amaldiçoado, uma humana condenada pela vida, um encontro, uma besta e algo inesperado.


"E sei que sua voz é o som mais adorável que já escutei" – ele a beijou suavemente. "Sei tudo sobre você e tudo o que vejo é lindo. E tudo o que vejo é meu."

O Garanhão dos garanhões, aquele que é almejado pelas mais belas das mais belas de ambas as raças e por todas as demais, humanas e vampiras morrem de amores por ele, é o irmão mais letal da Irmandade da Adaga Negra devido a sua atual condição. Em seu passado, jovem e inconsequente, cometeu alguns erros por soberba e a Virgem Escribã (aquela que é a criadora da raça dos vampiros que mencionei na primeira resenha - (leia clicando aqui) o amaldiçoou para que pagasse por seus "pecados" e por isso, o guerreiro terá de carregar com ele uma besta (um Dragão) por 200 anos. Mas a Besta é difícil de se conter, uma vez que ela toma o controle, ele não pode fazer nada e até aqueles que ele ama encontram-se em perigo. Se ele for consumido pela raiva, ela se liberta. Se ele estiver em um risco mortal, ela se liberta, e tudo ao seu redor se torna sua presa. Por isso, para controlar e manter sua maldição enjaulada em seu interior, ele apela para a luta e o sexo, muito, muito, muito sexo, gastando assim a energia necessária para manter o Dragão tranquilo e tem funcionado por muito tempo até que...

"Certamente, guerreiro" – a mulher voltou a se inclinar, desta vez, para Mary. Quando ergueu o rosto, sorria calorosamente. "Minha senhora, será um prazer servi-la também." -- Ah, que ótimo, pensou Mary. Então, que tal dar o fora daqui e certificar-se de ser substituída por uma bruxa gorda, desdentada e mal vestida...

Divertido, pateta, palhaço, amigo, parceiro, querido, simpático, sincero, sarcástico, irônico, charmoso e lindo, um Deus grego no quesito aparência, um desbravador sexual, o monstro, o homem ferido (lado que ninguém enxerga por muito tempo) e um amor impossível. Ele realmente seria capaz de amar? E sua maldição, permitiria que ele ficasse com apenas uma mulher? Hollywood (Ah sim, ele tem carinhosamente esse apelido de Hollywood - forma como seus irmãos o chamam - devido as suas proezas com o sexo oposto. Sentiu, né?) é o tipo de homem que não costuma repetir o "cardápio" feminino, sua lista de mulheres passadas é imensa, ele "pega" praticamente toda noite uma, seria ele capaz de abandonar esse "vicio"? Ou melhor, sua besta (a maldição que ele carrega), se acalmaria e contentaria apenas com uma? O mais letal dos guerreiros chama-se Rhage Tohrture e ele vê seu mundo virar de cabeça para baixo quando Mary Luce invade sem querer a sua vida, uma humana, ainda mais pelo fato de que sua maldição se agita tanto quanto ele em relação à ela. Mary é dona de uma voz que o tirou do prumo, aquela que ele não sabe a aparência, mas que o deixou completamente louco, mesmo que seja para ouvir: "Nada, nada, nada, nadaaaaa ..."

"Não quero parar, Mary. Quero deixa-lá excitada, tão excitada que não sinta nada além de mim. De maneira que não pense em coisa alguma a não ser no que eu estiver fazendo com você. Quero que se derreta."

     Um amor arrebatador, um sofrimento indescritível e as cicatrizes da vida.

"Se eu sentisse menos, seria diferente, mais fácil. Mas você provoca algo estranho em meu corpo, por isso, segurar-me totalmente é a única maneira de estar com você. Do contrário, posso me descontrolar e a última coisa que quero é apavorá-la. Ou pior, machucá-la."

A vida dele era como uma montanha russa de sentimentos naquele momento, levando-o a desrespeitar as regras de seu mundo, de seu comandante Tohrment e de seu líder Wrath. Rhage, o vampiro letal, segue na busca da dona daquela voz. Mas tinha algo de errado com aquela humana e ele não sabia como seria, será que se a visse uma única vez e tomasse seu corpo para si, ele esqueceria dela? Bom, ele vai tentar! Usando Bella - uma vampira, amiga e vizinha da humana que leva Mary sem querer para seu mundo - ele chega a Mary, mas ela não é como as demais mulheres que são capazes de lamber o chão apenas porque ele acabou de passar por ali, não, ela não entende o motivo de seu interesse, tão pouco sabe o que ele é de verdade e acredita que ele e Bella estão de sacanagem com ela (Quem tem uma amiga como a Bella, tem tudo, só digo isso! hahaha). É nesse ponto, que começa a se desenrolar esse romance. Romance que nos faz sentir raiva, amor, alegria, nos faz chorar e muito e o tão sonhado final feliz pode ou não acontecer, tudo é possível e você sofre só de cogitar as possibilidades. O chão desaparece sob os pés de Rhage e consegui sentir cada emoção dele, cada medo, cada desejo, o amor, o ódio, a fúria e o desespero. E de Mary? É muito fácil compreender seu medo, seu receio e suas atitudes, é muito fácil aceitar os seus motivos, ainda que a autora possa ter exagerado em determinadas situações. É tudo compreensível e no fim das contas, ela estava condenada para sempre e ser feliz? Talvez não seja para ela.


“E se deixa-la viver significa que deverá permanecer com sua maldição até ir para o fade?" -- "Eu ficaria feliz de manter o monstro dentro de mim." -- "Odeia-o." -- "Mas eu a amo."

As coisas mudaram bastante para a Irmandade e eles estão mais unidos do que nunca, inclusive, estão todos murando jutos em uma bela mansão. E em meio a avalanche de sentimentos que atordoam a vida de Rhage, a guerra contra a sociedade redutora se mantem, acontecimentos inesperados, surpresas indesejadas, a teimosia e desrespeito as ordens os levam a um ataque que poderia colocar aquela que ele almeja em perigo, ou melhor, colocou. O que fazer agora? Leva-la ou não para o seu mundo? Deixá-la para trás acarretaria uma culpa para carregar por toda a vida e levá-la consigo poderia condená-lo uma vez mais, afinal, ele não era amaldiçoado por acaso.

"Você será o único que se lembrara dela. E caso se aproxime dela, ela morrerá. Imediatamente." -- Rhage oscilou e caiu para frente, apoiando-se sobre as mãos. Passou-se muito tempo antes que pudesse arrancar quaisquer palavras de sua garganta. --"Realmente me odeia." Sua voz tremeu. "Está me tirando a vida."

As diferenças entre Rhage & Mary, não param só na parte do "um Deus grego e uma humana normal". Além de mundos e espécies diferentes, ela, tem toda uma história de vida muito sofrida e não acredita mais que poderá ser feliz, ainda assim, a nossa mocinha, é muito especial e está sempre disposta a ajudar os outros e foi tentando ajudar John (que descobre-se que é um vampiro), que ela acaba nas garras desse macho alfa. Ele a magoa, ela o magoa, alguns atos do Rhage, são meio que imperdoáveis e alguns de Mary (A comparação com um cão - eu amo cães, juro! - mas aquele momento é cruel!). Será possível que eles possam encarar tudo e superar para ficarem juntos? Porém, o fantasma da Besta e o pior de todos eles, a saúde de Mary são empecilhos que podem acabar com tudo muito, muito rápido... em um piscar de olhos...


Ela imediatamente se aproximou da cama para proteger Rhage, mesmo que fosse estúpido pensar que ela poderia com algo tão grande como o vampiro parado na soleira.

Por fim, nem ele, nem ela, parecem ter um destino com um final feliz para alcançar e quem lê os livros da Diva, sabe que nem sempre ela concede o que nós desejamos para aqueles que tornam-se os nossos queridinhos.


Ele gemia como uma garotinha, mas não podia evitar. Parecia que seu corpo fora espancado com um bastão de beisebol. Um bastão com um prego na ponta. A dor nos ossos e músculos era um problema menor, se comparada com seu estomago. Rezava para chegar em casa antes de vomitar no carro de V, mas não podia garantir que aguentaria todo o percurso. Sua boca salivava tanto, que tinha de engolir repetidamente. Isso, por sua vez, fazia a náusea voltar.

É o que J.R. Ward nos apresenta no quesito romance nesse segundo volume da série, mas ressalto que, tem ação também, amizade e outras coisas além de romance.


A lembrança de Mary voltou. Ele se deu conta de que havia se esquecido de apagar a memória dela. Negligente? Uma ova. Não o fizera porque queria vê-la outra vez. E queria que se lembrasse dele. Ah, cara... Isso não era bom. Nem um pouco. 

O livro conta com cenas eróticas na medida certa. Acompanhamos também outros personagens, todos os personagens secundários são cativantes e tudo o que a autora mostra sobre eles nesse e no volume anterior são fatores importantes para a construção de toda a série, aliás, se tem uma coisa que ela faz bem, é trabalhar as histórias paralelas de forma a nos levar a desejar ler os próximos volumes um atrás do outro. Digamos que, todo mundo aparece nos livros de algum modo e isso é muito legal. Toda a história é muito intensa. A escrita da autora se mantem fluida e deliciosa de se acompanhar. Ward continua mantendo sua maestria na construção desse mundo e desses personagens com perfeição, arrebatando corações e fãs por todo mundo. E não se esqueçam que, se você procura uma clássica história de vampiros, esses livros não são para você! Mas... se você procura uma história atraente, incandescente, forte, sobrenatural, sofrida, emocionante, linda, triste e arrebatadora? Essa série é feita para você!


“Não sou sua" – sussurrou ela. A rejeição não o desconcertou. -- "Bem. Se não posso tê-la, então, eu me dou por inteiro para você. Pegue tudo de mim, uma parte, um pedacinho só, o que quiser. Mas, por favor, fique com alguma coisa.”

Vale lembrar que os vampiros de J.R. Ward não são nada comuns e nem daqueles que estamos acostumados a ver. São bem diferentes e é exatamente por isso que eles me conquistaram, ainda que eu seja uma eterna apaixonada pelo vampiro clássico e todo o blá blá blá de ser uma criatura amaldiçoada e tal, essa série me ganhou, para sempre!



E aí, já leu? Conhece: Sim? Não? Gosta? Não gosta? Tem curiosidade sobre estes livros? Gosta de Vampiros? Enfim, conte-me tudo!

Até a próxima!
Clique nos títulos abaixo para ler as resenhas da série IAN.
8. Amante Meu.
9. Amante Libertada. 
10. Amante Renascido.
11. Amante Finalmente
12. O Rei.
13. Os Sombras.
14. A Besta.

Guia da Série.

15 comentários :

  1. bem, eu já tinha ouvido falar dessa história mas não me animei pra ler, então seria uma leitura que eu deixaria passar... não curti a premissa... apesar de gostar de histórias com vampiros... mas essa não rola mesmo... =/

    ResponderExcluir
  2. O enredo parece ser bem construído, os personagens me pareceram o bem clichê, repetitivos ao extremo, principalmente no que concerne as características, então, vou deixar a dica passar...

    ResponderExcluir
  3. Olha já ouvi falar bastante desse livro.
    Algumas pessoas comentam bem, mas eu sinceramente não me senti atraida em ler esse livro não.
    Estou mais na fase dos romances fofos e vou deixar esse um pouco mais pra frente. Principalmente porque eu não o tenho e precisaria comprar. Enfim...Mas sua resenha ficou muito bem escrita. Espero que seus outros leitores gostem.

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/07/resenha-flora-hen.html

    ResponderExcluir
  4. Eu só conheço a séries daqui, do blog. Então tudo o que sei é com base nas suas resenhas.
    Os vampiros são seres que me fascinam, mas ainda não sei se gosto da construção dos vampiros da J.R. Ward. Acho que me lembro muito o livros com CEO, homens ricos que fazem tudo o que querem.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Olá!! Eu tenho o primeiro livro dessa série em casa, mas não li. Fico um pouco receosa pela quantidade de volumes que essa série tem. Ainda não sei se quero começar, mas confesso que sua resenha me deixou um tanto curiosa haha Legal saber que a autora desenvolveu bem a história e os personagens secundários. Acho incrível quando isso acontece. Enfim, vou pensar mais um pouco haha Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Resenha super bem escrita, mas particularmente, odiei a sinopse e tudo que a história parece ter.
    Bjs, Isabella Marques
    http://pausaparaconversa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Ola lindona li o primeiro livro e não consegui ler mais , sua resenha ficou ótima, e me deu uma vontade de voltar a ler, pelo visto vou ficar com raiva de algumas atitudes de nosso vampiro por magoar a protagonista, mas o amor sempre vence. Gosto muito da escrita da autora e não é a toda que a série já tem 12 livros e faz um enorme sucesso. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  8. Pela capa eu não leria, mas a sua resenha me deu uma visão bem diferente da leitura!
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem?
    Eu estou apaixonada nessa série, eu tive a oportunidade de ler o primeiro e o segundo, e mal posso esperar para poder conferir o terceiro, tenho certeza de que também irei adorar.

    www.fonte-da-leitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Achei o enredo bem interessante, mas não é um livro que eu compraria de imediato pois não conheço os outros livros da saga.

    http://loucurasaovento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Aiii Meu Hollywood *-*
    Sou louca por esse homem!
    Eu sou mega viciada nessa série, já li até o 12 e amo demais! Você descreveu bem o Rhage. Ele é muito mais que um rostinho bonito e um corpo gostoso, e muito, muito mais profundo que o palhaço que aparenta ser.
    Eu amei acompanhar a história dele e da Mary. Foi muito linda.
    E se prepara para o terceiro, é perfeito!
    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Ola
    Adorei a resenha e sempre escuto elogios da série mas não é um gênero que gosto ou procuro.

    Beijos
    Reality of Books

    ResponderExcluir
  13. oi! eu já ouvi falar desse livro, mas assim como outras, acho que possuem o mesmo conteúdo e a mesma história inclusive :/

    ResponderExcluir
  14. Olá.
    Adorei sua resenha.
    Já li o primeiro livro, Amante Sombrio, e tenho esse aqui em casa mas não quero lê-lo até comprar o próximo livro hehehe
    Mas só pelo primeiro livro já me apaixonei pela série e pela Irmandade. =)

    Beijos
    http://aventurandosenoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Eu amo a série IAN. Esses guerreiros são tudo de bem.
    A melhor parte desse livro é quando a Mary consegue amansar a fera.
    O amor deles é lindo.
    Adorei a sua resenha.
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Agradecemos por comentar! ^_^