Autores Livros Entrevistas Filmes Games HQ's Mangás Wattpad Sagas Seriados

22 de novembro de 2015

Resenha: O Livro da Vida.


Título: O Livro da Vida.
Autora: Deborah Harkness.
Série: Trilogia das Almas #3.
Editora: Rocco.
Páginas: 560.
Ano: 2015.
Idioma: Português.
ISBN-13: 9788532529886.
ISBN-10: 8532529887.






Considerada pela crítica nos Estados Unidos “uma ponte entre Harry Potter, Crepúsculo e a série Outlander”, a Trilogia das Almas, de Deborah Harkness, chega ao fim com O livro da vida, uma perfeita fantasia para adultos, que alcançou o topo da lista dos mais vendidos do The New York Times em seu lançamento. Depois de A descoberta das bruxas e Sombras da noite, a autora entrega aos leitores informações surpreendentes sobre o manuscrito Ashmole 782 e sua conexão com bruxas, vampiros e demônios que vivem entre os humanos, além de selar o destino da cientista e bruxa Diana Bishop e do geneticista e vampiro Matthew Clairmontt, com sua bem-sucedida combinação de magia, história, amor e ciência. 



Finalmente o livro!

Sim, o livro pelo qual esperei ansiosamente o lançamento e passando pela tortura que foi a espera até que a Editora Rocco o lançasse esse ano na bienal do livro RJ - 2015.

 O Livro da Vida, é o terceiro e último volume da Trilogia das Almas que é também é composta pelos títulos A Descoberta da Bruxa (leia a resenha aqui) e o Sombras da Noite (leia a resenha aqui).

Conheci essa série de um jeito um tanto promissor e confesso que me apaixonei completamente, a cada livro, a cada história nova. A cada conclusão, fiquei ainda mais enfeitiçada pelos livros e, não vou mentir e nem ser exagerada ao dizer que a Deborah fechou com chave de ouro. Essa é uma trilogia que na minha opinião, deveria ser lida por todos os fãs de livros de fantasia e sobrenatural.

Esse livro se inicia imediatamente após a conclusão do Sombras da Noite. Logo no início nós vemos que a autora não estava de brincadeira e que já queria de fato nos apresentar um enredo memorável.

A busca pelo manuscrito ainda persiste, assim como a ameaça da Congregação e os inimigos. A dor da perda e o luto ainda está entre eles, mas nada os torna mais forte do que a união em um momento de sofrimento.

– Este é o inferno da guerra – disse Gallowglass. – Não é a luta nem mesmo a morte que destrói você. É a incerteza.

Reencontros acontecem, o passado e o presente se confrontam e uma decisão que mudará a vida de todos precisará ser tomada. Será que vale a pena confrontar a todos por causa de um? Será que esse manuscrito realmente tem todas as respostas? A viagem ao passado mudou algo na relação de Mathew e Diana? 

São tantas perguntas, tantas respostas, tantas informações conjuntas que você simplesmente não consegue largar o livro até termina-lo.

O que é realmente importante para você? Até onde você iria pela sua lealdade? Você daria a sua vida em nome de outra pessoa? Você abriria mão de algo de extrema importância para você para conseguir o que quer?

Nada vem de graça nessa vida, tudo tem um preço, um porque e um porém.

Qual é a origem de tudo?

Somente o Livro da Vida é capaz de te dizer.

Sério, não tenho palavras para descrever a leitura desse livro, os dois primeiros livros dessa série são bons e apaixonantes, mas a conclusão dela... foi formidável! Nenhuma pergunta ficou sem resposta, todos os seus papeis foram delimitados e mostrados perfeitamente. Os personagens se desenvolveram, se organizaram e encontraram de certa forma o seu felizes para sempre.

Assim como nos livros anteriores, a inteligência da autora em escrever me fascinou. Com muita clareza e fácil entendimento ela introduziu elementos da história, de alquimia e de genética na trama. Sempre disse que livros inteligentes me conquistavam e esses três são a prova disso.

O Livro da Vida, nas suas 560 páginas é capaz de fazer o leitor rir, se emocionar, ficar apavorado e acima de tudo, angustiado. Vou contar que chegou em uma determinada parte do livro na qual não consegui largar ele até que tudo fosse resolvido. Garanto para vocês que o seu desejo de vingança vai aflorar de uma maneira que vocês não têm ideia.

– Não, sou um vampiro. – Matthew juntou-se a Chris sob a luz do projetor. – E antes que me pergunte, posso sair durante o dia e meu cabelo não pega fogo à luz do sol. Sou católico e tenho um crucifixo. Quando durmo, o que raramente acontece, prefiro a cama ao caixão. E se você tentar enterrar uma estaca em mim, provavelmente a madeira lascará antes de penetrar na minha pele. – Ele mostrou os dentes. – Não tenho presas. E uma última coisa: nunca, nunca cintilei. – Ele enfatizou esse ponto com o rosto escurecido. 


O romance não fora deixado de lado em momento algum, poderia estar acontecendo o que fosse, mas Diana e Mathew estavam sempre dispostos a lutar contra quem fosse para que pudessem ter a sua família, feliz e em paz, até contra membros da sua própria família. Juntos ou separados eles estavam próximos, tudo o que um faz é pelo outro, é lindo de se ver essa união do proibido, os opostos lutando para darem certo aceitando tudo o que trazem de bom e ruim dentro de si.
  
– Para cada pergunta que já tive ou que nunca terei, a resposta é você.

 O que mais gostei dessa história de fato foi a conclusão que a autora nos deu. Não vou esboçar aqui, pois seria o spoiler primordial da história. Mas a lição que ela nos passa é algo que temos que trazer para a nossa vida. Independente do que você for, na questão do livro as pessoas são divididas entre bruxas, vampiros, demônios e humanos. Entretanto, para trazer a nossa realidade você pode dividir as pessoas em caucasianos, indígenas, negros e asiáticos. Ou quem sabe, posso dividir em heterossexuais, homossexuais e bissexuais. Não importa essa divisão, não importa a classificação que você der para as pessoas, elas nunca, em hipótese alguma, deixaram de ser seres humanos.

Todos são apenas seres humanos com diferenças entre si. 

E é com isso que vou me despedindo nessa resenha e com dor no coração, mas com a sensação de dever cumprido que eu me despeço dessa série. Uma série que me encantou pelas capas incríveis, pelo enredo formidável e inédito e pela escrita inteligente da autora. 

Preciso dizer a vocês o quanto a recomendo?


Eu e Matthew representávamos o casamento alquímico entre vampiro e bruxa, morte e vida, sol e lua. Uma combinação de opostos gerava algo mais sutil e mais precioso do que se poderia obter sozinho. Nós éramos o décimo nó. 
Inquebrantável. 
Sem começo nem fim.


 

E então gente, conheciam o livro?
Conheciam a trilogia?
Querem ler? Não querem?
Me contem tudooooooo!!! 



Nota: 





 

9 comentários :

  1. Oiii, eu não cnhecia essa trilogia e me encantei, fiquei louca para ler!!! Principalmente por essa capa incrível.e com essa empolgação que você demonstrou fiquei louca para ler hahaha
    Beijos
    http://segredosliterarios-oficial.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oieee,
    É um livro bem curioso. Não conseguia a trilogia. E parece ser bem legal.


    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Não conhecia essa trilogia, mas agora após ler sua resenha vejo que PRECISO ler urgentemente!
    A história parece ótima, do tipo que me agrada.
    Gostei muito da resenha e dos pontos que você ressaltou.
    Beijos.

    Li
    Literalizando Sonhos

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem?
    Não conhecia a trilogia, mas como gosto de fantasia e sobrenatural fiquei interessada em conhecer mais!
    Fico feliz que esse último livro tenha encerrado bem a trilogia e espero ter oportunidade de ler em breve quem sabe o primeiro livro.

    Beijo :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi, eu não conhecia a trilogia, mas curti bastante a resenha
    despertou a minha curiosidade.
    Vou salvar o título na minha lista. beijos

    ResponderExcluir
  6. Parece ser muito interessante essa trilogia, por ser essa ponte entre Harry Potter, Crepúsculo e a série Outlander. Eu imagino que tenha aspectos das três obras.
    E a sua resenha ficou apaixonante. Espero ter oportunidade de ler, pois amo uma boa fantasia.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Oi Mayara, eu não conhecia a trilogia ainda e gostei muito da sua resenha, espero ter uma oportunidade de conhecer as obras uma hora dessas. ótima resenha!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  8. Ainda estou pensando se leio essa trilogia, só a menção de "Outlander" ali já chama minha atenção! Vou colocar na lista do futuro... hahaha

    ResponderExcluir
  9. Oi, flor!
    Coincidentemente, li sua resenha sobre o volume anterior a esse e até achei interessante a sua opinião. Lembro que fiquei pensando em ir atrás dessa trilogia depois que estivesse completa, porque queria saber se seu desfecho faria tudo valer a pena. UAU. Gostei de saber que sim, e que esse terceiro volume encerrou com chave de ouro todo o enredo. Isso certamente contou pontos para mim.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Agradecemos por comentar! ^_^