Autores Livros Entrevistas Filmes Games HQ's Mangás Wattpad Sagas Seriados

18 de fevereiro de 2017

Resenha: A noiva devota - Mari Scotti.

Título: A noiva devota.
Série / Coleção: Família Hallinson.
Livro: 02. Ano: 2016. Páginas: 248.
Autora: Mari Scotti.
ISBN: B01NCEOYYG.
Idioma: Português.
Editora: Amazon.
Gênero: Romance de época / Romance.
Categoria: Literatura Brasileira.
Adicione ao Skoob.
Compre: aqui
E-book cortesia da autora.

Sinopse:
Nascer um Hallinson jamais foi tão promissor como em sua geração, no entanto, carregar esse sobrenome era ao mesmo tempo uma dádiva e uma maldição para os herdeiros do amor lendário de Mical e Octávio. Tudo porque Madascocia tornou-se a cidade do casal que venceu uma maldição. Muitos curiosos passaram a visitá-la em busca de felicidade, amor eterno, casamentos duradouros e a solução para seus dilemas. Além das inúmeras superstições como passar pela sombra de um Hallinson; lançar cartas ao rio Llyin que corta a Mansão de Bousquet; as donzelas e matriarcas almejavam matrimônio com um dos jovens herdeiros.
Tentando adiar ao máximo esse desfecho, Samuel prolongou os estudos, mas, a saudade de uma donzela o faz retornar para casa antes do previsto.
É em um baile que todos os seus planos de a cortejar ruem. Flagrado em uma situação comprometedora, vê-se obrigado a se casar.
Ela sempre soube como se esconder da sociedade, como passar desapercebida entre as pessoas e não chamar atenção. Não que fosse complicado, ela era a mais nova das filhas, a menos formosa de sua casa. A que nasceu com uma ofensiva deficiência. Por acreditar que jamais seria notada, Rosalina guardou um grande segredo: seu amor por Samuel Hallinson. O que ela não esperava era cruzar o caminho do rapaz em um dos momentos mais constrangedores de sua vida e mudar seus destinos bruscamente.


Hã, o que dizer sobre A noiva devota? Irritante, muito irritante e ao mesmo tempo deliciosamente romântico, linear e adorável!

Nascer um Hallinson já fora muito difícil, mas como a própria sinopse diz, agora é promissor, e não é financeiramente que estamos falando. É na questão emocional, familiar, de amor mesmo... Depois que seus pais quebraram uma maldição e tornaram-se lendas de uma história verdadeira de amor, os herdeiros passaram a ser vistos com outros olhos. Samuel é o segundo filho homem da família, portanto não é o herdeiro de seu Pai. Ele é galanteador, encantador, estudioso, extraordinariamente indeciso e irritante. Meu Deus, como esse personagem me irritou, cinquenta vezes mais do que o Pai dele foi capaz de irritar-me no livro anterior.

Rosalina é uma mocinha diferente, encantadora ao seu modo, ainda que não seja muito notada pela sociedade... Discreta e simples, e tem um bom senso de justiça. Não vou dizer que ela é a frente de seu tempo, porque ela não é, mas o que a diferencia das demais é sua personalidade forte e definida, a bondade, honestidade e o fato de que deseja casar-se por amor. Depois da primeira temporada em que sua irmã debutou, e quando a sua vez chegou, as coisas em sua família e vida mudaram e não foi para melhor. Uma família que a muito fora amorosa e unida, agora, voltava tudo para sua irmã, deixando Rosa – como é chamada carinhosamente por alguns – de lado – mas ela não tinha raiva disso, apenas sentia-se só em determinadas questões – ela ama muito sua irmã e deseja o melhor para todos.

Ele está encantado por uma dama, e por esse motivo retorna para casa, para buscar a companhia, nos bailes da sociedade, daquela que almeja, que é nada mais nada menos do que a irmã de Rosalina, Isabel.

Ela, desde muito nova, disse a seu Pai que precisava de um enxoval, porque um dia teria de casar-se, mais precisamente aos 6 anos, e dali para frente Rosa bordou seu enxoval com duas inicias, pois acreditava que amava um determinado rapaz desde sua terna idade. Mas, a vida, infelizmente, não é um conto de fadas, e a quem ela muito amava sequer a notava. A falta de esforços de sua Mãe para ajudá-la, voltando as atenções apenas para sua irmã, em nada ajudava-lhe. Rosa, para piorar, sofria muito por sua condição física, pois tinha de esconder de todos que uma de suas pernas era um pouquinho mais curta do que a outra – em sua época, qualquer tipo de deficiência era rejeitada.

Samuel é um rapaz um tanto indeciso, difícil até, mas tem uma personalidade gentil, amorosa, um tanto ciumento, e muito, muito cego ao que lhe diz respeito... Almejando cortejar Isabel, ainda na noite em que volta a frequentar os bailes da sociedade, um imprevisto o coloca em uma posição difícil e ele se vê tendo de fazer a cosia certa ou deixar que a irmã de Isabel tenha sua reputação arruinada e consequentemente sua vida para sempre. Ele foi ensinado que deveria casar-se por amor, como ele poderia assumir um compromisso para reparar um equívoco? Como poderia cortejar a irmã da jovem que deseja? Bom, ele teria de resolver aquela situação de um modo ou de outro, e é com o apoio dos Pais que ele busca isso.

Rosa sabe que estará arruinada caso o jovem que apenas salvou sua vida, mas que com isso, sem querer, colocou-a em apuros, não peça sua mão em casamento. E para piorar tudo, esse jovem é o homem a quem ela sempre amou, e que nunca a olhou. Ela não mentiria sobre o acontecido, independente das consequências que tivesse de encarar e tem o apoio do Pai quanto a isso.

Ouvindo os conselhos da Mãe, Samuel pede a Rosa para cortejá-la, todavia deixando em aberto a possibilidade, para ambos os lados, de romper o noivado, caso eles não venham a se interessar um pelo outro dentro de um mês. Com essa atitude ele “salvaria” a reputação dela e em seus pensamentos acreditava que durante este cortejo conseguiria mostrar para a família Acker o quanto era precioso e digno, e ao final, ao invés de casar-se com Rosalina, a quem devia ajudar, conseguiria unir-se a Isabel, a irmã mais velha da sua, agora, noiva, Rosa.

Completando a situação, Samuel é o melhor amigo do irmão da Rosa, e isso pode complicar muito as coisas, pois seu amigo sabia, desde sempre, que Samuel retornou com interesse em Isabel (Adorei o irmão da Rosa, mesmo com sua pequena participação).

Vou parar de contar sobre a história, o que tenho dizer é que a obsessão de Samuel para com Isabel me tirou do sério, me irritou muito e concordo totalmente com a atitude da Rosalina em determinado momento. Se eu estivesse no lugar dela, faria muito pior. Ô homem irritante! >__<

Com sua reputação arruinada, isso, querendo ou não, prejudicaria também a sua irmã. Graças a Deus, apesar de todos os males dessa desgraça, a mesma trouxe algo de bom para sua família, a união que voltou a reinar em seu lar.

Confesso que via, inicialmente, Isabel, como uma péssima irmã, entretanto, ao decorrer das páginas essa personagem conquistou-me e mostrou que as coisas nem sempre são o que parecem. Suas novas atitudes para com Rosa me conquistaram. Conhecemos também o futuro herdeiro de Octávio, Gregório – e estou ansiosa para ler sua história –, gostei muito desse personagem e de seu comportamento, bem como da sua união "maquiavélica" ao Pai quando necessário para ver se Samuel acordava para o mundo – risos. Mical, a Mãe de Samuel, é uma mulher e tanto, continua sendo minha personagem predileta desde a Montanha da Lua. 

Esse segundo volume, onde Octávio e Mical cedem, generosamente, a vez para que seus filhos contem suas histórias, tendo o foco em Samuel, é delicioso de se acompanhar. A escrita da Mari está cada vez mais fluída, o que facilita muito a leitura, é nítido a sua evolução do primeiro volume para este. Algo que tem me conquistado muito, desde o primeiro volume dessa série, é o fato da autora não utilizar “mimimi” em excesso e nem mesmo subterfúgios de outros personagens armando para separar o futuro casal. Os problemas são causados, única e exclusivamente, por eles mesmos... ou melhor, nesse caso, por Samuel (Ainda sinto vontade de estapeá-lo, muito, muito mesmo, só de estar relembrando a história!). A Mari consegue nos prender, fazer sentir dó, raiva, compaixão, desejar estar lá para ajudar Rosa e mandar o Samuel para o raio que o parta – risos –. Infelizmente isso não é possível, portanto, ficamos com esses sentimentos digladiando em nosso interior até finalizarmos a leitura. Os capítulos são narrados por mais de um personagem, como no volume anterior, e isso é ótimo, é em primeira pessoa e nos possibilita compreender melhor os sentimentos de cada um deles. Não, isso não torna a leitura confusa, porque a autora teve todo um cuidado para deixar bem evidente quem é o narrador em cada parte.

Confesso que sou meio malvada quando se trata do comportamento de determinados personagens, e a partir do rompimento, passei a torcer – descaradamente – contra Samuel no quesito Rosalina (Ah, que se dane, ele mereceu essa torcida contra, fez por onde conquistá-la!). 

Quanto ao final? Como ficou a reputação da Rosa? Como deu-se o desfecho de Samuel? Descubra lendo! Garanto que rolou um enorme amadurecimento para esse nosso mocinho (aliás, para vários personagens) que diferente da maioria do seu tempo, não é um libertino, ele tem honra – apesar de cometer erros graves – e acima de tudo, ele só quer encontrar o amor. Seu amadurecimento é imenso e conseguiu amenizar minha raiva, até me conquistou um pouco – risos.

Quanto a edição, não posso falar sobre encadernação e cor de páginas, pois o li no formato digital, através do e-book gentilmente cedido pela autora para resenha, mas posso dizer que a edição é simples e bonita. A capa está linda, condiz com a do primeiro livro, mantendo uma linha bacana e também com o enredo que traz. A escrita da autora é gostosa e facilita a leitura.

Indico a leitura para quem já acompanha a série, para quem adora um bom romance de época, para quem quer ler um romance gostoso ou quer aventurar-se no gênero. Enfim, para quem gostar da premissa. Eu li e adorei esse livro! É isso, até mais ver!

[QUOTES]
Dentre elas o de não conduzir os filhos em suas escolhas deixando-nos com a tarefa de descobrirmos por nós mesmos, exceto quando viam necessidade de intrometer-se ou orientar-nos.
Digo-lhe sempre que não espero mudanças, pois acostumei-me a esgueirar-me como um fantasma, no entanto, sabemos que falto com a verdade, sempre desejei uma família amorosa e feliz e talvez esse seja o motivo de sonhar tanto.
Era um tolo, um tolo enganado pelo próprio irmão! Gregório não teria meu perdão desta vez, não com facilidade.
“Se uma doença não aproximar duas pessoas... não sei o que mais poderá fazê-lo.”
“... entendo meu dever e cumprirei se assim ordenarem. Não sou um cafajeste, nunca fui.”
“Nada aconteceu e não há motivos para lhe coagirem a se casar comigo.” – Desta vez seu olhar encontrou o meu, parecia decidido. “E não permitirei que o obriguem.”
“... acredito que se um dia alguém me amar ele não se importará com a minha reputação, mas em estar ao meu lado por simplesmente precisar estar comigo.”
“Se em algum momento você sentir que é melhor ficar só a se casar com ele não deixe de falar comigo, a criamos para ser esposa de um nobre, uma mulher importante na sociedade, mas, acima de tudo, para ser feliz. Entendeu?”
Sou tão teimoso que nem mesmo a morte me convence a partir.
“Posso fazer a minha própria sorte, senhor Hallinson. Não vou me prender a um homem que claramente não deseja se ater a mim. O senhor sabe que não me deve nada e eu o sei também, porém deixei isso ir longe demais porque era conveniente para mim.”
“As pessoas estão olhando e, como sabe, não é aconselhável se aproximar de uma mulher como eu.” – A frase saiu entredentes e percebi, pela primeira vez, que o olhar que ela me lançava não era de tristeza e as lágrimas em seus olhos não eram de dor, mas de desprezo.
Eu era filho da lenda. E precisava superar expectativas além da minha própria capacidade.
“Não preciso da sua compaixão, senhor Hallinson. E se não ouviu da primeira vez, repetirei: sou responsável por meus atos e pela minha sorte, não preciso de um homem para me tornar alguém.” – O queixo dela se ergueu e vi determinação.
“Livre-se do peso de sua consciência se é o que precisa, quanto a mim, seguirei com a minha vida.”

Avaliação: 
Coleção Família Hallinson.

2. A noiva devota.

9 comentários :

  1. Olá,

    Estou com o primeiro livro dessa série para ler e por isso me foquei mais na sua opinião sobre a obra, e não a obra em si, ao ler que você achou irritante fiquei recosa, mas que bom que li sua resenha completa né. Confesso que a curiosidade está batendo forte, pois tenho lido resenhas muito positivas sobre a história.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi, tudo bem?
    Eu já tinha lido resenhas desse livro e super gostei do enredo - embora não seja um dos meus preferidos. Um dos fatos que mais me chamou atenção, foi a questão dela não ter uma deficiência. Tipo, a maioria dos escritores criam personagens perfeitos em quesito aparência, o que já dá um diferencial na obra.
    Bom, eu tenho esse livro no meu Kindle e quando puder, darei uma lida sim <3
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Eu já li algumas resenhas sobre essa obra e todas têm opiniões diferentes. Uns positivos, outros negativos. Confesso que o interesse que eu tinha antes se acalmou um pouco, principalmente por causa do comportamento de alguns personagens, como foi citado na sua resenha. Enfim, amei conhecer mais um ponto de vista sobre o livro.

    ResponderExcluir
  4. Oii! Eu li o primeiro livro e fiquei apaixonada pela história. E fiquei bastante curiosa para conhecer a história do segundo livro. A capa está linda, espero me encantar com esse livro, beijos!

    ResponderExcluir
  5. Queria o link das resenhas negativas, até agora só li positivas kkkkkk (mentira, não quero ler as negativas não, só estranhei um comentário acima KKK).
    MENINA DO CÉU, amei a sua resenha (como sempre). Obrigada pelo capricho! O Samuel nasceu para perpetuar a teimosia do pai! kkkkk e fico feliz de ele ter te irritado. Me irritou muito também enquanto eu reproduzia a sua história. Mas, tudo para um bem maior <3.
    Espero conseguir te conquistar com o Gregório também.
    Beijão!
    Mari Scotti

    ResponderExcluir
  6. Entendo bem o que você quer dizer com irritante e depois que é muito bom, porque geralmente os de época começam assim, tem vezes que dá vontade de arrancar os cabelos das personagens né? Eu já conhecia o primeiro livro, este é novidade.

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem? Estou vendo muitas resenhas do livro da Mari por ai e só fico cada vez mais com vontade de ler. Adoro romance de épocas e não duvido gostar desse também. Estou com altas expectativas! Adorei a resenha <3
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oiii tudo bem??

    Adoro livros que torcemos pra um personagem, e temos raiva dos outros. Hahuahauhauha serio sou muito sentimental com isso.
    Mas vou deixar passar a dica, pois infelizmente não tenho muito apreço pela autora.
    Bjus ótima resenha.

    ResponderExcluir
  9. amo livros de epoca, filmes e etc..... vou ler esse gostei da resenha bjs depois publico se gostei.

    ResponderExcluir

Agradecemos por comentar! ^_^