Autores Livros Entrevistas Filmes Games HQ's Mangás Wattpad Sagas Seriados

7 de dezembro de 2015

Resenha: Amos e Masmorras - A Submissão. #01


Título: Amos e Masmorras - A Submissão.

Autora: Lena Valenti.

Série: Amos e Masmorras #1.

Editora: Universo dos Livros.

Páginas: 416.

Ano: 2015.

Idioma: Português.

ISBN-13: 9788579308901.

ISBN-10: 8579308909.



Em mais uma excitante série, a renomada autora Lena Valenti aborda agora as nuances do universo BDSM. Amos e Masmorras é um dos mais recentes sucessos da autora e se tornou best-seller internacional. A agente Cleo Connelly, integrante do corpo de polícia em Nova Orleans, é uma mulher atraente e destemida, que não mede esforços – e impulsos – na resolução dos casos que assume. Certo dia, entretanto, ela é designada para investigar, junto ao FBI, uma lucrativa rede de tráfico humano. Para cumprir a missão, ela precisará se inserir em um contexto inusitado: visitar a cena BDSM do país e participar das práticas de sodomia e dominação instituídas no torneio Dragões e Masmorras DS. Agindo como agente infiltrada, Cleo terá de pesar os limites de sua própria luxúria nesta implacável caçada, considerando também a arrebatadora atração que sente por Lion Romano, seu parceiro no caso. Mas será que, no meio do caminho, ela vai gostar de ser submissa? Renda-se aos deleites desta intrigante e sensual narrativa!





Inicie-se...
Submeta-se...
Prepare-se...
Rá!!!

Essa sou eu. 

Uma pessoa totalmente eclética em relação a leitura. Por isso, dessa vez, retornei e vou mostrar para vocês a minha opinião sobre esse livro. Sim, um livro erótico! Sim, um livro sobre BDSM! E sim, um livro que li e amei!!!

Confesso para vocês que tinha uma curiosidade muito grande em torno dessa série, pois umas conhecidas e até mesmo a própria Ana, aqui do blog, ano passado ficaram completamente alucinadas por essa história. Eu, por minha vez, a "do contra", disse que não o leria e que só faria isso quando lançassem essa série no Brasil. E não é que a Universo dos Livros facilitou a minha vida?

Amos e masmorras é um livro totalmente diferente de muitos livros que eu li por ai, mas para explicar, irei contar um pouco da história.

O livro conta a história de Cleo Connely, uma jovem policial da cidade de Nova Orleans que sonha em entrar para o FBI junto com a sua irmã e seu inimigo/amor de infância. Devido a sua personalidade um tanto quanto forte ponto esse que gostei muito na personagem, ela não foi aceita para a corporação e isso a deixou desapontada, mas não menos motivada para tentar no ano seguinte. 

Porém, um dia, quando menos esperava, nas vésperas de um novo teste para realizar o seu sonho, o FBI bate a sua porta com um convite acompanhado de uma notícia avassaladora, sua irmã tinha desaparecido. Sequestrada? Morta? 

– Sério? – Ela deu meia-volta e colocou as duas xícaras novamente sobre a mesa. – O senhor tem milhares de agentes mais bem preparados do que eu, que sou uma policial com instintos homicidas de Nova Orleans, lembra? O senhor deve ter lido meu histórico, e o senhor Stewart provavelmente te alertou sobre meus toques de celular.

Com o objetivo de salvar sua irmã, Cleo é apresentada para um mundo no qual ela imaginava existir apenas nos livros eróticos. Mas para ter o sucesso em sua missão e descobrir o que aconteceu com sua irmã, ela terá que deixar sua personalidade forte de lado e além de tudo, terá que conviver e se submeter à aquele por quem ela foi apaixonada durante a infância inteira. O mais surpreendente para a nossa protagonista, é que ela não esperava que poderia começar a gostar de verdade de cada momento e descobertas que o BDSM lhe oferecia.

Se aquela era a recompensa por sofrer o castigo, naquele mesmo dia ela o chamaria de feio, vesgo e nazista umas vinte vezes.

Com um enredo muito bem definido, alinhado, contínuo e muito bem construído, Lena consegue nos transportar para um mundo de investigações, prazer, fantasia, erotismo e perigo.

Li esse livro em duas noites, simplesmente não conseguia largar essa narrativa. A ideia do jogo é totalmente inusitada na minha opinião, pois a autora misturou o romance policial gênero literário que adoro, com RPG, uma pitada de drama e comédia e uma dose cavalar de romance erótico.

O romance de Lion e Cleo é simplesmente demais, é algo gostoso de ler, é envolvente. Você como leitor fica torcendo para que os dois finalmente se entendam, mas as coisas não são tão simples assim e tudo pode acontecer. Mesmo existindo uma paixão desenfreada e reprimida desde a infância, agora o jogo virou e muitas coisas estão sob o holofote: a missão, o fato dele ser o seu chefe, seu amor do passado. Sem contar que o jogo no qual eles participarão, um simples demonstrar de afeto pode ser a sua pior fraqueza e isso será e muito usado contra você. 

Um amo apaixonado despe mais sua própria alma do que sua submissa


Enquanto lia, brinquei com a Ana perguntando: Quem é Christian Grey perto de Lion Romano?

E faço e refaço essa pergunta para quem quiser: Quem é Christian Grey perto de Lion Romano? Quem? Quem?

Meninas, vocês que leram 50 tons de cinza e se apaixonaram pelo Grey, leiam Amos e Masmorras. É sério, vocês vão conhecer um Dom de verdade e acredite, ficarão louquinhas por ele, porque o Lion é simplesmente demais!

Pronto, chega de babar e vamos voltar a falar sério.

Achei a história desse livro muito, mas muito inteligente de fato. 

A autora te envolve com a escrita e faz você querer saber o que vai acontecer a cada página que passa sem a mínima vontade de parar. Mas o que me pegou de verdade nessa história, foi que mesmo sendo classificado como um romance erótico, Amos e Masmorras, diferente de grande parte dos livros do gênero, não é voltado apenas para o sexo.  Ele tem história!

Não vou mentir e dizer: não tem sexo. Porque tem! E tem muito! E além de ter muito, é muito, muito bem detalhado! Minha Nossa Senhora das Calcinhas Molhadas e das Piriguetes Literárias, socorro!  O linguajar em algumas partes achei um pouquinho chulo, mas quem sou eu para reclamar, não é mesmo? Afinal, li um livro erótico e queria palavras bonitinhas? Acorda Mayara!

Por se tratar de uma série, sinto em desapontar vocês que se interessaram por esse livro, mas não, as respostas não são encontradas nesse volume. Assim como também não acontece o jogo no qual eles terão que participar para tentar resolver todo o caso de uma vez. 

Nesse volume introdutório, o que nós temos mesmo, é a introdução de tudo. Sério, gênio? 

Okay, sem brincadeiras agora. 

Nesse livro, nós somos apresentados ao universo do BDSM, no qual, devo ressaltar que é algo muito diferente de 50 tons de cinza, inclusive tem uma parte no livro na qual o Lion e a Cleo falam desse livro e eu ri demais hahaha. Para quem é uma leiga no assunto, como eu, a autora se preocupou em explicar cada ponto desse estilo sexual e inclusive, a cada início de capítulo, tem uma frase sobre esse estilo, auto-explicativa sobre o que acontecerá no capítulo. 

Somando a essa apresentação, também nos é revelada a missão na qual eles estão trabalhando, aos bandidos que querem capturar e também ao jogo em si, suas regras, suas provas e alguns de seus participantes.

Sendo assim, vocês podem ter a ideia de como fiquei quando terminei o livro, certo? 

Desesperada, essa é a palavra. Porque eu via o livro passando, as páginas diminuindo e nada do vamos ver acontecia. Quando o negócio começou a ficar sério e o dia do início do jogo finalmente chegou, o que aconteceu? Acabou o livro! Minha Nossa Senhora das Autoras Carrascas, isso não se faz!!!

Concluindo tudo, sem brincadeiras ou demagogias. Amos e Masmorras foi um livro que sim, me tirou completamente da minha zona de conforto literário e que surpreendentemente me agradou, gostei demais e quero mais! Um livro intenso, de temas abrangentes e que tem a capacidade de entreter os leitores de diferentes gêneros.

Recomendo a leitura para todos e espero que assim como eu, vocês apreciem essa obra. Lembrando: sem preconceitos e de mente aberta.

Que venha o segundo livro! Infelizmente, ainda não temos uma data de lançamento nacional, mas espero que seja em breve.

Minha nota é:



Quando as masmorras se abrem, os dragões estão à solta. Que comece o torneio!



19 comentários :

  1. Oi Maiara,

    Olhe, assim como você, eu posso dizer que sou eclética quanto a gêneros literários, exceto, romances eróticos. Você falou de uma forma que poderia até mudar meus pensamentos, mas eu teria que ler para ter certeza. O problema é que não sinto vontade. Eu realmente não gosto. Já li outros livros e detestei todos, então posso afirmar isso com bastante afinco.
    Sua resenha está muito bem escrita, devo ressaltar isso.
    Beijos
    Historiar

    ResponderExcluir
  2. Oie Mayara!!!
    Quando li 50 tons (lá em 2012) me viciei na vaibe dos eróticos, li vários rsrs. Lembro que esse livro em especial ganhou muita popularidade em um grupo que eu acompanhava. Mas já estava um pouco saturada do gênero e acabei deixando para lê-lo depois, o que ainda não aconteceu kkkk. Mas confesso que desde que o livro foi lançado tenho curiosidade de conferir a história. Vamos ver se encaixo ele nas minhas leituras de férias.
    beijão*...*
    www.notinhasderodape.com.br

    ResponderExcluir
  3. Erótico não é um gênero que me ganha exatamente por não ter uma história interessante por trás, como acontece com a maioria. Já estava chegando à conclusão que esse poderia ser diferente quando você falou exatamente isso. Por esse motivo eu poderia ler o livro. Mas quando você comparou Leon com Grey, um cara obsessivo, controlador e egocêntrico, eu perdi um pouco a vontade. Mesmo você falando que Leon é muito melhor que Grey. Vou pensar mais a respeito antes de decidir se lerei ou não. :D

    Infinitos Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Samy... eu comparei o Lion com o Grey em relação ao fato de os dois serem dominadores nos livros, mas em relação a personalidade em si, eles são completamente diferentes. Inclusive tem uma passagem no livro na qual o Lion condena as atitudes do Grey. :3

      Excluir
  4. Hello from the other side...
    Então, romance erótico é o tipo de livro que leio uma vez ao ano, somente pra matar a curiosidade mesmo. Achei você bastante empolgada e sua resenha está ótima. Boa leitura.
    Vou deixar a dica passar...
    Abraços

    Clichê Imperial
    http://clicheimperial.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oieeee.
    Eu até gosto de ler romances eróticos, mas ele precisa ser bem construído para eu gostar. Tua resenha até me deixou curiosa para ler o livro, porém falta alguma coisa...

    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  6. Oi moça, joia?
    Varia bastante gêneros e já li 50 tons, que não me agradou. Ser diferente dele já é um ponto positivo hehehehe. Eu acho 50 tons meio breguinha, sabe? Essas coisas de Deusa interior, não sei que lá das quantas, é bem esquisito. Acho que esta autora teve mais classe pra escrever. É um livro que eu possivelmente leria.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Olá!

    Não conhecia a série, mas achei a premissa bem interessante. São poucos os eróticos que conheço que tem história, mas história de verdade. Minha única dúvida é: o que vem a ser BDSM?

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kamila...
      BDSM é a prática sexual do bondage. Dominador x Submissa. :D

      Excluir
  8. Oi, tudo bem?

    Não é algo como 50 tons de cinza,e, por isso, eu acabei me interessando! Como você mesma disse, tem história! Eu tenho muita vontade de ler livros desse tipo, mas tenho medo de não gostar... Vou adicionar esse livro na minha lista de leitura, juro! Adorei sua resenha!

    Beijinhos,
    Pizza and Books

    ResponderExcluir
  9. Não conhecia o livro e tão pouco a série.
    Mas adorei a ideia.
    É o tipo de livro que eu gosto e muito, fiquei com muita vontade de ler.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem?
    Eu não tenho nada contra romances eróticos, mas para que me interesse por um ele precisar ter algo a mais. Esse livro não me chamou atenção: primeiro, porque estou evitando séries e segundo, porque parece que faltou algo. Mas a resenha ficou ótima ;)

    Beijos,
    Andy!
    http://quotesperdidos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oiie

    Que livro tippo "uau". Menina, eu adorei 50 tons, foi o primeiro livro que li erótico, sabe, e tô querendo ler outros, para tirar esse velho preconceito. E esse parecer ser ótimo, que saber o que Lion tem a mais do que Grey (meu amor k). Sabe sem brincadeiras, eu acho que assunto de dominador e submissa tão sério, porque acredito que tenha na vida real e pois pessoa que são obrigadas, é triste. Adorei a sua resenha, bem criativa.

    Bjs

    ♡ Amantes da Leitura

    ResponderExcluir
  12. Olá, tudo bom?
    Eu não conhecia a série, não sou adepta aos livros hot, mas sou eclética também. Fiquei sem entender em quê ajudaria a irmã dela entrar nesse mundo, mas acho que só lendo mesmo.
    Gostei do fato de que a autora procurou explicar para as pessoas leigas o que realmente é o BDSM.
    Bjs
    www.horadaleitur.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem?

    Eu não leria o livro no momento, não é porque não gosto de romance, que muito pelo contrario, amo romance. Mas ultimamente estou focado em fantasia e ficção científica. Além disso, gostei muito da sua resenha, percebi que você conseguiu passar aquilo que queria para os leitores, parabéns!

    http://desencaixados.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi!
    Amooo 50 tons e comecei a ler Amos e Masmorras, mas tenho leituras pendentes e tive que parar. :(
    Enfim, melhor que Grey ai ai ai Minha Deusa rs.
    Super quero muito ler logo, para ontem.
    Beijos, Maisa.
    Reino Literário Br

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Desde que vi o lançamento desse livro fiquei louca pra conhecer a história. Depois da sua resenha estou desesperada. a história parece ser emocionante. Eu amo o Grey e depois que você falou que o Lion é melhor então agora que necessito conhecer essa história.
    Adorei a sua resenha e pretendo ler em breve.
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Oie, tudo bom?
    Gosto de livros hot, mas nunca li nada com o tema BDSM, nem mesmo 50 Tons de Cinza. É a segunda resenha que leio desse livro e cheguei a pensar que era a mesma resenha porque as duas elogiaram a história. Quando eu tiver a oportunidade de ler eu terei a mente aberta e a premissa da trama é interessante. O personagem principal também parece ser incrível.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Oi, Mayara, tudo bem? Eu ia ler a resenha do volume dois dessa série mas precisava antes passar aqui e ver o que se passou no volume 1, e eu simplesmente me encantei com você, aliás, ri demais, o que foi o "Minha Nossa Senhora das Calcinhas Molhadas e das Piriguetes Literárias, socorro!" hahahaha
    Você me convenceu, vou procurar esses livros para ler, como já tem o segundo volume lançado, vou me jogar,rs.

    Beijos. ^_^
    www.clubedas6.com.br

    ResponderExcluir

Agradecemos por comentar! ^_^