Autores Livros Entrevistas Filmes Games HQ's Mangás Wattpad Sagas Seriados

29 de janeiro de 2017

Resenha: Os Pássaros - Frank Baker.

Título: Os Pássaros.
Autor: Frank Baker.
ISBN-13: 978-8566636437.
ISBN-10: 8566636430.
Edição: 1ª (28 de setembro de 2016).
Capa dura: 304 páginas.
Idioma: Português.
Editora: DarkSide® Books.
Gênero: Suspense e Mistério.
Categoria: Literatura Estrangeira.
Adicione ao Skoob
Compre: aqui

Sinopse:
Você conhece o filme. É um dos maiores clássicos de Alfred Hitchcock, de 1963. Nos créditos, consta que a história é baseada no conto “Os Pássaros”, de Daphne du Marier, escritora que o mestre do suspense já havia adaptado antes. Quase trinta anos após seu lançamento, o romance de Frank Baker ganharia repercussão quando o autor ameaçou processar Hitchcock e Daphne Du Maurier. Para deixar essa estranha coincidência com ares de plano macabro: Daphne era prima do antigo editor de Frank Baker, o inglês Peter Davies, e chegou a trabalhar com o parente. Pássaros. Milhares, talvez milhões, sobrevoam Londres, de forma aparentemente inexplicável e sem sentido, onde parecem observar os habitantes da capital, que os consideram divertidos, se tanto um pouco estranhos. Enquanto as pessoas ainda tentavam entender o que faziam ali, eles começam a atacar, ferindo e até mesmo matando com tremenda brutalidade e violência. Seriam eles uma força da natureza ou uma manifestação sobrenatural? Ninguém sabe. A única certeza é que o objetivo dos pássaros é a destruição da humanidade e ninguém tem ideia de como impedi-los... No ano em que se celebra os 80 anos da primeira edição, a DarkSide Books orgulhosamente apresenta o livro Os Pássaros para todos os leitores e cinéfilos brasileiros apaixonados por um bom susto, um retrato sombrio e acurado de uma Londres pré-Guerra, como se Baker conseguisse vislumbrar o futuro próximo de terror e feitos inomináveis apresentado pela Segunda Guerra Mundial. A edição da DarkSide Books, em Limited Edition (capa dura) é fiel à versão definitiva, revisada à mão pelo próprio autor, em 1964. Os Pássaros conta ainda com uma introdução feita por Ken Mogg, respeitado estudioso da obra de Hitchcock. Mais um livro imperdível da DarkSide, editora responsável pelo primeiro relançamento de Psicose (2013), de Robert Bloch, no Brasil, depois de quase 50 anos.

Olá!!!!

Nana Garces aqui e hoje pra trazer mais uma resenha Darkside! E vou começar com uma perguntinha básica: o que vocês fariam se sofressem ataques de pássaros? Hm??

Pra quem é fã dessa editora já sabe de qual livro estou falando (e também porque leu o título antes de entrar aqui na resenha rsrs). Sem mais delongas, hoje falaremos sobre Os Pássaros de Frank Baker.

Mas antes de começar a falar sobre o livro, vamos falar um pouquinho sobre o autor. Prometo que não vou me estender, porém é muito importante que vocês entendam um pouco sobre quem foi Frank Baker e isso porque seu livro, Os Pássaros (1936), vive numa teoria se foi nele que Hitchcock se inspirou pra criar o filme Os Pássaros (1963) ou não.

Para quem já viu o filme e leu o livro de Baker sabe que tem cenas que são muito parecidas, como a cena da cabine telefônica, ou o fato da chegada de uma jovem causar ciúmes em uma mãe, porém mesmo que Frank Baker tenha tentado solicitar a Hitchcock alguma compensação ele acabou não conseguindo nada. Hitchcock disse que seu filme foi baseado em um conto da autora Daphne du Maurier, publicado em 1952. Ainda diz-se que Hitchcock solicitou ao roteirista para que usasse apenas a ideia de seres-humanos sendo atacados por pássaros e o mesmo título, apenas.

Seja como for, tanto Frank Baker como Hitchcock tinham uma grande inclinação para contar “melodramas superiores” o que pode ter influenciado a ambos a contar histórias com caráter tão parecido.

Um pouco mais sobre o autor, a breve história de F. Baker está disposta numa introdução do livro publicado pela Darkside, onde Ken Mogg fala lindamente sobre como a vida de Frank Baker inspirava seus livros, inclusive com o passar de páginas e conhecendo o personagem, você vai se dando conta como ele aproximava a literatura a sua vida real, em forma de estímulos. Não contarei muitos mais detalhes sobre essa introdução porque vejo ela como um brinde que a Darkside deixou para seus leitores. Vale muito a pena conferir, se você, assim como eu, é curioso sobre quem são os autores e como eles desenvolvem.

Agora vamos ao livro! Os Pássaros, está com uma edição incrível pela Darkside e disposto no site da editora como um “Cinebook, filmes para ler”. O que me faz pensar na posição da Darkside sobre o que falamos ali em cima rsrs.  É um livro impecável, dentre todas as capas dos livros da Darkside esse pra mim é uma verdadeira obra de arte, um dos mais lindos. E foi essa beleza que o fez passar na frente de tantos outros livros que eu estava querendo ler. Agora se eu me arrependi ou não, vocês só vão saber no final!

A história começa num futuro onde o desastre da vinda dos pássaros já aconteceu, Anna, filha do protagonista, é a voz do prefácio e ela pede para seu pai que ele conte a história dos pássaros, estimulada por frases como “se você vivesse antes da chegada dos pássaros, teria que ir a um lugar chamado escola...”. O que claramente te faz pensar que o mundo mudou e muito! É um cenário um pouco mais apocalíptico, mas ainda assim natural, com árvores, montanhas, campos e rios gelados, onde correr pelo jardim sem roupas não é um problema.

Ele aceita contar a história e pede para que ela a anote, então passa a contar sua vida de um jovem trabalhador, que vive com sua mãe. Logo no começo da descrição do personagem o leitor já se depara com a chegada dos pássaros, como uma nuvem negra que se colocou sobre a City de Londres, porém todo o suspense colocado nos pássaros é retirado no segundo seguinte quando o protagonista tem que explicar como era aquele mundo em que ele vivia para sua filha, falando sobre bancos, propagandas, bissexualidade, e assim vai. Tudo é amplamente explicado, com detalhes que parecem bobos a um leitor que sabe o que é tudo isso.

Com o passar da história você vai conhecendo um pouco mais da situação que a City se encontra, com os pássaros sujando tudo onde vão, inclusive a água. E ocasionalmente matando alguém. Pelo olhar do personagem você consegue sentir a apreensão e curiosidade que todos sentem com essa chegada até o ponto de querer normalizar a situação, ignorando o problema latente que a cidade tem nas mãos. Entretanto não é apenas a City que sofre, em determinado momento do livro Baker descreve um ataque de kamikazes japoneses sobre os pássaros o que me remete a outro detalhe, nenhum deles é ferido.

Vou parar por aqui porque os pássaros é uma incógnita presente no livro do começo ao final. Quero apresentar para vocês é meu sentimento sobre esse livro.

Os Pássaros me trouxe uma outra leitura, um outro patamar, é um clássico em suas raízes, e se tratando de um clássico a leitura pode se tornar um tanto maçante. Especialmente em momentos que o personagem passa tempo demais filosofando e falando sobre o contexto histórico do mundo. Se não é um assunto que prende a atenção, o leitor rapidamente perde o foco do livro. Eu senti essa dificuldade algumas vezes, porém fiquei curiosa com alguns assuntos que o autor abordou e filosofou sobre, como o caso da bissexualidade latente no personagem. Esse livro foi escrito a primeira vez em 1936, e o que ele coloca nas páginas sobre esse lado sexual da humanidade me pareceu tão atual, tão além do tempo dele que fiquei admirada em como ele conseguiu atravessar sua época.

O que Frank Baker me passou com esse livro foi uma inteligência que não estava presa a cultura da época que ele o escreveu. Conseguindo fazer o leitor filosofar sobre determinados assuntos tão corriqueiros.

A última parte do livro foi o momento que consegui criar uma maior conexão com o que Baker queria passar, porém em nenhum momento me senti realmente apaixonada pela ideia, e eu sou o tipo de leitora que quer se apaixonar pelo que lê. Mas Frank consegue prender pela curiosidade do que são esses pássaros e como se livrar deles.

Por ser descrito em primeira pessoa, o leitor não vai achar nenhum outro ponto de vista mais profundo que o do protagonista, não esperem uma apresentação de cada personagem envolvido, esse livro é sobre um homem contando sua experiência pessoal de uma maneira extremamente real para alguém que não sabe o que aconteceu no passado.

Por último, não é um livro contado em capítulos, ele tem três momentos separados, mas apenas para marcar a situação em que o personagem se encontra em paralelo com a City.

Vamos a questão: se eu me arrependi de ter passado esse livro na frente de outros. Não. Apesar de ser uma leitura mais cansativa e de difícil desenvolvimento, eu gostei de ter lido ele. Frank Baker escreve de uma maneira que te faz viver dentro da história, de tão real que é tudo o que ele passa pro leitor. 

Não achei um livro assustador, em nenhum momento ele me causou a sensação de suspense ou terror, o sentimento que me pareceu mais predominante foi a curiosidade com os pássaros.

Sobre a nota do livro (e vocês sabem que eu não gosto de dar notas para clássicos, porque ele está a 80 anos no mercado por algum motivo), para mim ele foi um 4 estrelas. Ele é um livro muito bom, mas muito cansativo. Só posso fechar falando: Leiam ele se vocês quiserem viver um clássico.

É isso aí!! Espero que vocês tenham gostado da resenha, não deixem de passar o link pro amiguinho ler e comentar, e no meu instagram eu costumo colocar vídeos e fotos dos livros que estou lendo, então se quiserem passar lá é só me seguir aqui.

Beijos e até a próxima!!



11 comentários :

  1. Oi, Nana!
    Adoro essa capa! DarkSide arrasa!
    Esse livro está na minha lista faz um tempinho. Sabia que era um clássico, então já vou preparada para encontrar essa leitura mais cansativa e reflexiva.
    Espero gostar do livro quando eu puder ter a oportunidade de ler.
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Crislane!
      Se você curte os clássicos acho que vai gostar sim! Depois diga o que achou! Beijos!

      Excluir
  2. Olá
    Eu não conhecia esse livro até. A sua divulgação pela DarkSide. Eu achei o trabalho da editora um arraso como sempre. Eu compartilho sua opinião com relação aos clássicos, as vezes pode se tornar um analítica bem complicada mesmo. Sobre ele ser narrado em primeira pessoa eu não me incomodo pois amo livros assim. Adorei. A resenha e até mais ver.
    Bjks

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Manoel!
      Realmente os clássicos trazem aquele momento de maior reflexão, mas clássico é clássico kkkk
      Obrigada!
      Beijos!

      Excluir
  3. Oiee Nana ^^
    Mesmo não gostando de suspense e mistério, tenho muita curiosidade de ler esse livro, principalmente por estar querendo ler mais clássicos. Uma pena que seja cansativo, mas, se é realmente bom, a gente arrisca, né? Gosto muito de quando o autor consegue fazer o leitor se sentir como se estivesse vivendo o que o personagem vive.
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Eu me lembro de ter lido este livro, já faz alguns anos, em uma edição bem antiga. Essa nova versão trazida pela Dark está extremamente linda, e muito bem trabalhada. Por ser um clássico realmente o enredo pode ser maçante e arrastado, mas adoro o brilho que a história traz.

    ResponderExcluir
  5. Oii, tudo bem?
    Ótima resenha! Eu ainda não conhecia o livro ou o autor e confesso que fiquei bem curiosa para descobrir como está esse novo mundo. Mas acredito que a leitura não iria fluir bem para mim, pelo menos por agora, mas de todo o jeito ele está na minha listinha pois quero muito o ler.

    ResponderExcluir
  6. DarkSide é outro nivel, né? A capa desse livro é maravilhosa!

    Ainda não tive a chance de ler esse livro e não me interessei pelo filme... Quero a chance de lê-lo antes de partir para o filme, agora!!!

    Gostei do fato de você apresentar o autor na resenha, pois quase ninguém deve saber que antes de ser filme, é um livro muito bom!

    Abraços!
    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  7. Oii!
    Primeiramente, vamos tirar um momento para glorificar a Darkside por todas as edições que me deixam embasbacadas com tamanha perfeição.
    Dito isso, eu já conheço esse livro há um tempo, mas tenho um probleminha que morro de medo de ler haha ele está na minha lista de livros para ler um dia, quando eu criar coragem, mas é sempre bom saber que ele é muito bem visto pelos leitores! :))
    Beijos!

    www.beyondbluedoors.com

    ResponderExcluir
  8. Olá,

    De início a capa me chocou um pouco, mas depois apreciei bastante quem a criou, pois está muito bonita e realística. Não sou muito fã de livros do gênero, confesso, li pouquíssimos até hoje, no entanto acho a premissa dele muito interessante, e se houvesse a oportunidade de lê-lo surgisse, com certeza, eu leria.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. oiiii
    Amo DarkSide, Faço até coleção, mas ainda não consegui me adaptar a leitura da mesma. Começo e não vou pra frente, tenho que tentar mais vezes.
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir

Agradecemos por comentar! ^_^