22 de setembro de 2017

Resenha: O Príncipe Leopardo – Trilogia dos Príncipes #02.

em 22 de setembro de 2017

5 comentários
Título: O Príncipe Leopardo.
Autora: Elizabeth Hoyt.
Trilogia dos Príncipes #02.
Editora: Record.
Páginas: 343.
Ano: 2017.
Idioma: Português.
ISBN-10: 8501109835.
ISBN-13: 9788501109835.
Encontre no Skoob.
Compre: aqui.

Sinopse: O segundo livro da aguardada série de romances de época com uma forte pitada de erotismo. A única coisa que uma dama jamais deve fazer... Lady Georgina Maitland não quer um marido, embora ela pudesse ter um bom administrador para cuidar de suas propriedades. Ao pôr os olhos em Harry Pye, Georgina percebeu que não estava lidando apenas com um criado, mas com um homem.Harry conheceu muitos aristocratas, incluindo um nobre que é seu inimigo mortal. Mas nunca conheceu uma dama tão independente, desinibida e ansiosa para estar em seus braços.
Ainda assim, é impossível ter um relacionamento discreto quando ovelhas envenenadas, aldeões assassinados e um magistrado furioso tumultuam o condado. Os habitantes culpam Harry por tudo. Enquanto tenta sobreviver em meio à desconfiança e manter o pescoço de Harry longe da forca, Georgina não quer perder outra noite de amor.

                                               
Oi pessoal! Estou de volta para mais uma resenha de romance de época, que é nítido para vocês, é um gênero que adoro. Vou dar continuação ao segundo volume da trilogia d’Os Príncipes! Portanto, vamos falar sobre a história de Georgina e Harry, que acontece no ano de 1760. 

Georgina é uma mulher independente, que vivia a frente de seu tempo, não era como as outras damas da sociedade. Nossa Senhorita não se casaria por interesses e convenções, pois dinheiro ela tinha de sobra. Apesar disso, era cobrada pela família em relação a sua solteirice, no entanto, a mocinha deixa bem claro que só casar-se-ia por amor.

Então, ela resolveu visitar sua propriedade onde o administrador era Harry Pye, e o admirou por ser jovem, bonito e entender bem da agricultura. Não que Georgina fosse velha, mas ele tinha boas referências, logo pensou que por causa de sua experiência fosse ser um homem mais velho, ledo engano.

Harry, quando se deparou com Georgina, de imediato já foi pensando que estava em apuros, ela não era bonita, todavia, a sua presença, inteligência e seus cuidados com seus arrendatários, o deixava sem reação.

Lady Georgina começou a demonstrar certo interesse por Harry, mas ele sentia-se inferior a ela, por sua classe social e por ser pobre, só que a atração entre os dois foi crescendo e tornando-se cada vez mais inevitável.

O Sr. Pye, lutando com a rolha de uma garrafa de vinho branco, ergueu o olhar e sorriu para ela. Por um momento, Georgina se perdeu naquele sorriso, o primeiro sorriso de verdade que vira no rosto dele.

As coisas nunca podem ser simples, não é? Então, Harry estava sendo alvo de um aristocrata que queria vingança, ele estava atrás de provas e criando outras provas para incrimina-lo. Claro que existia um segredo por trás disso tudo, que vai ser desvendado quase no final do livro.

O romance entre os dois foi inevitável, Georgina estava encantada com Harry, pois ele conseguiu chegar onde está por seus próprios méritos e a admiração crescia, também o sentimento entre eles, apesar das dificuldades que um romance entre os dois certamente se fariam presentes.

Os boatos sobre Harry aumentavam cada vez mais, ele e Georgina estavam atrás de provas que pudessem inocentá-lo de toda a confusão. Muitas coisas precisavam ser ditas entre eles, no entanto, por medo. Georgina se calou. Ela, com seu ar aristocrático, completamente dona de si, ficou sem reação a frente de Harry. Dando-se conta de que era amor que sentia por ele, e isso a impossibilitou de enxergar o que estava acontecendo.

Georgina não se deixava abater, até contra seus irmãos colocou-se, pois não suportava injustiça. Uma série de coisas bem ruins começaram a acontecer, brigas, intrigas. Harry com seu orgulho a enfrentou, falou coisas que não devia e a magoou. Confesso que foi triste de se ler, pois as barreiras foram levantadas de novo.

“Eu posso ser um servo, mas não sou burro. Você passou o dia todo com seus três irmãos aristocratas e então me convoca para a biblioteca. O que mais poderia ser além da minha dispensa?”

Tem muita história ainda pela frente, será que Harry vai superar o orgulho e seu próprio preconceito para com ele mesmo, para ficar com sua Lady? Será que Harry não possuindo bens materiais ou dinheiro, fará alguma diferença a Georgina? Tem muita coisa em jogo, família, amigos e uma responsabilidade de não manchar a reputação de Georgina.

Um livro muito gostoso de ler é o que temos aqui. A história é contada na terceira pessoa, intercalando os pontos de vista entre Georgina e Harry. As páginas são amareladas, a edição conta com uma fonte confortável para a leitura, adorei a capa que segue o padrão do primeiro livro, mudando só a cor,  e tem uma história paralela a essa contada por Georgina. Recomendo a leitura para quem gosta de romances de época ou está pensando em se aventurar por um, essa trilogia é uma ótima pedida. Que venha o último livro!

Elizabeth Hoyt nasceu em Nova Orleães, onde a família da mãe vive há várias gerações, mas foi criada nos invernos gélidos de St. Paul, Minnesota. Quando era pequena, a família viajou muito pela Grã-Bretanha, passando um verão em St. Andrews, na Escócia, e um ano em Oxford. Ela tem licenciatura em Antropologia pela Universidade de Wisconsin, Madison. Wisconsin foi também o local onde conheceu o marido, arqueólogo – em uma escavação num campo de milho – e vivem no centro do Illinois, com os seus dois filhos, três cães e um jardim que ela cuida com entusiasmo. A família Hoyt gosta de aproveitar suas férias, que acabam, invariavelmente, em sítios arqueológicos.


Classificação:

Até a próxima!


Confira as demais resenhas da trilogia clicando nos títulos abaixo:

1. O Príncipe Corvo.
2. O Príncipe Leopardo. 
3. O Príncipe Serpente.

5 comentários :

  1. Olá Cris! Não conhecia a série, achei a capa linda. Gostei da premissa, achei interessante e envolvente, já estou curiosa para saber como eles vão se envolver, beijos!

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Não é meu gênero favorito, então vou indicar pra minha amiga, que com certeza vai adorar!!

    ResponderExcluir
  3. Oi.

    Fiquei encantada por essa trilogia desde que a vi no Mochilão da Record. Estava louca para ler os livros, esta semana consegui comprar o primeiro, e já estou ansiosa para iniciar a leitura. Não vejo a hora de ler todos os três livros.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Acho lindas as capas dessa série, até dói o coração por não conseguir me interessar por romances de época... Rs... Mas achei legal a mocinha não chamar atenção por causa de beleza e sim por inteligência e atitudes.

    ResponderExcluir
  5. Oii!!
    Gosto muito de romances de época e esse chamou a minha atenção. Achei a capa linda.
    Acho muito legal mostrar uma mocinha diferente das que geralmente encontramos, gosto de personagens inteligentes que não agem fazendo besteira.
    Gostei bastante e pretendo ler também.
    Beijos

    ResponderExcluir

Agradecemos por comentar! ^_^



TOPO