Autores Livros Entrevistas Filmes Games HQ's Mangás Wattpad Sagas Seriados

23 de fevereiro de 2015

Sobre MANGÁs


O que é e como surgiu o Mangá?

O Mangá pode ser considerado as Histórias em Quadrinhos do Japão.

Tendo surgido na época do feudalismo no Teatro das sombras. Na época, as pessoas usavam fantoches para contar lendas mas foi com o passar do tempo que essas lendas passaram a ser mostradas por meio do papel, sendo escritas e ilustradas dando origem as histórias em sequência, hoje conhecidas como Mangás.

A partir disso vários Mangás começaram a ser exibidos em forma de animação por meio de TVs, vídeos e até em cinemas. 



Alguns gêneros de Mangás

Existem vários gêneros para Mangás e possivelmente até mais do que para HQ (histórias em quadrinhos), mas o mais popular aparentemente são os de Ação. É o gênero que os japoneses e outras pessoas no mundo parecem apreciar mais. No gênero de ação o criador procura trazer um certo conceito aos leitores como por exemplo no famoso One Piece.

 A propósito, One Piece é o Mangá que mais vendeu mundialmente em toda a história atual, três vezes mais que o famoso Dragon Ball e do que Naruto (já conhecia algo sobre Mangá e nem sabia, não é?), ambas obras bastante conhecidas no Brasil. 

Gênero: Ação.
Dentro do Ação-Shounen, os criadores buscam deixar a obra mais interessante e fazer jus ao gênero ao dar poderes para seus personagens. Poderes que por vezes parecem um tanto loucos quanto criativos. Poderes derivados de elementos, de lógica e até de ciência, ao fazer isso eles buscam deixar as cenas de luta muito mais divertidas de se assistir ou ler.

De início alguns poderes podem parecer fracos ou inúteis aos leitores, mas com o desenvolver da trama irão perceber que tudo tem uma função e grau de utilidade dentro de um certo contexto.

Isso é considerado um dos melhores fatores dentro de Ação-Shounen, a criatividade! Você não fica preso a usar ações baseadas em realidade ou de coisas ditas “normais”. Vários conceitos são criados junto de ideias, cenas “fodásticas” de ação são postas em prática, frases marcantes e algumas vezes inspiradoras são ditas ou criadas por personagens e com isso surge outro belo fator: A história!

A beleza de um Mangá é a sua história. É lindo ir descobrindo como as coisas se encaixam no decorrer do Mangá. Os mistérios que surgem e são desvendados e isso deixa o leitor mais curioso e interessado na obra. Não podemos esquecer do desenvolvimento de um personagem, ele/ela é posto diante de uma situação e tem que superar tal situação, muitas coisas podem se desenrolar diante disso gerando conflitos épicos que deixam os leitores aflitos e mais interessados ainda, claro que isso não seria só em Ação, mas em outros gêneros também. 

Gênero: Violento-Gore.
Vários outros gêneros conquistam o público como o Violento-Gore que fazendo jus ao nome possui várias e várias cenas intrigantes. Este gênero poderia ser visto como uma novela qualquer, só que talvez, com poderes sobrenaturais além da imaginação e ás vezes com uma pitada de violência excessiva, mas enfim, realmente a maioria possui contextos bons e também é mais apreciado por quem gosta de um belo suspense.

Gênero: Romântico-Shoujo.
O Romântico-Shoujo em que um casal se conhece e então passa a enfrentar dificuldades e a supera-las para conseguirem viver felizes e unidos. Parece simples, mas muitos conseguem comover os telespectadores de inúmeras formas que eles nunca imaginariam. As histórias podem variar de um jeito indescritível, mas garanto que são boas.

Gênero: Erótico-Hentai.
O Erótico-Hentai é conhecido por muitos por aí (talvez não saibam se tratar de Mangá). Os criadores tendem a dar juventude aos personagens ao não incluir pelos em certas partes do corpo. Mas vou ser sincero, na minha opinião nesse gênero temos os Hentais que “prestam” (são bons) e os que não “prestam” (ruins), ou em outras palavras: Os que tem uma história bem constituída (montada) e os que são como um filme pornô genérico.



Sobre Mangás

Existem vários outros gêneros como Aventura ou até sobre cotidiano (coisas do dia-a-dia) com a aquela pitada de Novela mas com uma arte e personagens bons. Existem Mangás sobre comidas e muitos outros temas. Diante disso um criador encarna no seu Mangá algo que ele deseja e sabe que vai dar lucro (acrescentar) a história de sua obra.

Muitos mangakás (“escritores de mangás”) tem seus assistentes e editoras.

Os assistentes os ajudam na hora do desenho (mangás são repletos de desenhos) e planejamento; mesmo que a maioria deles prefira fazer tudo sozinhos enquanto a editora paga para o Mangaká postar os capítulos em forma de Volume Tankobon. Volume Tankobon seria a junção de muitos capítulos de um Mangá em um livro de mais ou menos 300 páginas. Muito parecido com as HQs dos estados unidos, mas em minha sincera opinião, são mais criativos e interessantes. Mas isso realmente depende do tamanho de um Mangá, Shounens são aqueles que supostamente duram mais. 

Eu aprecio muito os Mangás devido ao estilo de construção e de desenvolvimento, é muito bom ler mangás, já que em algumas vezes podemos sair do mundo real e nos aventurarmos no mundo da fantasia.

O Mangá pode ser comparado à vários outros tipos de leitura, a diferença seria mais no quesito da criatividade e os designer em minha opinião, portanto, sugiro quem estiver interessado, que deseja se aventurar dentro do mundo de leitura de Mangás ou então os que preferem assistir, podem se aventurar nos animes, não tem como se arrepender!






Em um resumo geral essa é a apresentação de Mangás escrita especialmente para os leitores do Livros & Tal, espero que tenham gostado. Abraço. Ass: Anthony!






Créditos:
Texto de autoria de Anthony Jandre
Brasileiro, 14 anos. Leitor, jogador (RPG), escritor (com um mangá de 800 capítulos - não lançado) e apreciador de Mangá






Nós, do Livros & Tal, agradecemos a participação especial de Anthony e a matéria que escreveu especialmente para os nossos leitores poderem conhecer um pouco mais sobre Mangás. 

Obrigada à todos vocês por nos acompanharem e até a próxima matéria Livros & Tal. Beijos! (Postado por Ana)